Os lúpulos do meu jardim

Baixei uma tabela de variedades de lúpulos. Foram 4 páginas. Literalmente de A a Z.

De Admiral, a Zeus. Do Reino Unido ao Canadá, da Nova Zelândia aos Estados Unidos, da Alemanha ao Japão, da África do Sul a França. Novo Mundo, Velho Mundo. Nem todo lugar do mundo.

Lúpulos (imagem: Getty Images)

Eu adoraria ter um canteiro cheio de lúpulo. São florzinhas bonitinhas aquelas. Na cerveja podem ser usadas para amargor ou para aroma. Ajudam a conservar o líquido. Tem alfa ácido, tem beta ácido. Tem óleos e tem história.

As características da planta são diversas. Lúpulos podem ser florais, cítricos, herbais, picantes, frutados, terrosos e até amadeirados. Praticamente todos os estilos de cervejas levam a planta. Nem todos, porque existem receitas muito antigas, de um tempo em que ainda não conheciam seus benefícios.

Ator coadjuvante, muitas pessoas que gostam de cerveja não sabem o que é o lúpulo. Bastante normal, visto que não temos a cultura nas terras tropicais. Este tipo de planta não é nativo daqui e sofre com as adaptações. Já há desbravadores mudando este cenário. Já existe a mudança dentro do nicho de apreciadores.

Quem se dedica a estudar cerveja com certeza sabe a importância de se ter bons lúpulos na receita. Hoje o Brasil melhora a cada dia a importação, que cresce e consegue trazer safras mais novas para nossas fábricas. Mais gente interessada em usar produtos frescos e de qualidade. Mais tecnologia para manter o produto fresco, saboroso e com delicioso aroma.

O site que baixei o arquivo foi: http://www.condadodacerveja.com.br/