Incompleto

(Esse nome não é uma metáfora não, eu só tenho a impressão de que esse texto tá incompleto mermo)

Quem sou eu pra culpar outro alguém 
Por me querer bem
Mas não tão bem assim?
Porque mesmo quem gosta acha difícil
Gostar mais do que um pouco de mim

São tantos abraços
Tantos afagos
Mais rasos que lagos
E nessa profundidade a água é fria
Meus pés pra fora
Meu coração também

Eu sou uma flor, é verdade,

mas, dentre todas,
A que mais demora a ser arrancada
A nuvem que mais demora a chover
A última rua a ser iluminada
O último calo a parar de doer

Eu ando as ruas ao entardecer 
Perdida em pensamentos 
Sentimentos 
E tantos nomes me passam na mente
Tantos outros me passam nas mãos 
Em cartas, poemas e histórias 
Que pensariam os nomes se vissem o meu?
“Deve ser alguém que conheci,
Mas que esqueci no tempo, e se perdeu”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.