Como sair em turnê (+ lista de contatos)

Nossa última foto da turnê no nordeste com a gorduratrans

Acredito que uma das partes mais ambicionadas (e legais) pra quem tem banda é sair pra tocar em outra cidade. Uma das grandes propostas de todo esse rolê independente é essa: levar sua música pra lugares em que você nunca pensou em tocar, e, na outra ponta, possibilitar que pessoas de determinada cidade assistam bandas que, caso contrário, elas nunca conseguiriam ver. Acredito também que deve ser um tanto difícil pra quem entrou nesse mundo agora saber como tornar isso possível. Sendo assim, daremos algumas dicas adquiridas nesses nossos poucos anos de experiência sobre como armar e organizar shows em outras cidades.

Antes de mais nada, é preciso dizer que entendemos “turnê” como desde um fim de semana de shows em outra cidade até uma gira por alguns estados. Isso aqui é faça você mesmo, não o Metallica.

A chave pra conseguir qualquer show e basicamente qualquer coisa no independente é a seguinte: contatos.

Dos contatos

Que tal usar essa ferramenta maravilhosa que é a internet pra conhecer pessoas que curtem o mesmo tipo de som que você? Por incrível que possa parecer, facebook não é só pra compartilhar meme e foto de gato. Existem grupos como o da Sinewave, real emo (sdds orkut) e DIY Touring Brazil que podem te ajudar. Lá é onde as coisas acontecem: basicamente todo mundo que agita as coisas no Brasil tá em um desses grupos, e boa parte do público também. Fique ligado nos posts, saiba quem é quem, de onde as pessoas são e rapidamente você terá uma rede de contatos considerável.

Fora do mundo virtual: vá aos shows, troque ideia com as bandas, faça amizades. O Fugazi marcava suas próprias turnês nacionais antes da internet existir, você também é capaz (sim, você é. Não precisa ser o Fugazi).

Escolhendo a rota

Tudo depende de quanto tempo você quer passar longe de casa e quantos shows quer fazer. Pra um fim de semana, o ideal é fazer de um a dois shows, sendo um na capital e outro em uma cidade próxima (em estados em que isso é possível, tipo São Paulo). Evite marcar dois shows no mesmo fim de semana na mesma cidade. Isso tende a dividir o público e prejudicar um dos eventos. Para excursões maiores, pense na semana de quinta a domingo. Com raríssimas exceções, segundas, terças e quartas-feiras costumam ser dias de viagem, descanso e lazer, já que é muito difícil armar show no meio da semana.

Alguns exemplos de rota:

De Curitiba pro sudeste -> RJ no sábado, SP no domingo (fica mais perto pra voltar na segunda)

De SP pro sul -> Florianópolis no sábado, Curitiba no domingo (mesma premissa da anterior, fica mais perto pra voltar)

De Porto Alegre pro sudeste em dois fins de semana-> Porto Alegre na sexta; Floripa, Blumenau ou algum outro lugar de SC no sábado e Curitiba no domingo. Recomece na quinta-feira em alguma cidade de SP, sexta na capital, sábado no RJ e volte no domingo.

Primeira perna da tour que fizemos com a gorduratrans no Nordeste -> Maceió na quinta com o pessoal da Popfuzz no Pub Fiction; Recife na sexta no Edifício Texas Bar; Natal no sábado no DoSol; Fortaleza no domingo. (Recomendo bastante esse trajeto, porque dá pra segurar a barra legal. A partir daí, o cansaço começa a pesar).

IMPORTANTE: existem lugares/rolês que só funcionam ou funcionam melhor em dias específicos. O nosso contato de Floripa, por exemplo, prefere fazer aos sábados. Converse com os promotores e tenha isso em mente na hora de pensar a logística da viagem.

Como é fazer uma turnê DIY resumido em 15 minutos

Armando o show

Ok, você já conhece algumas pessoas de outros lugares e já sabe onde quer ir tocar. E agora, como é a negociação? Tem algum tipo de contrato? Vou receber cachê? A resposta é: DEPENDE. Existem diversos esquemas possíveis: muitas bandas tocam em outras cidades só pelo amor e diversão, sem se preocupar com a grana. Em outros esquemas, bandas e produtores combinam uma porcentagem da bilheteria, e há ainda bandas que só vão com a garantia de um valor fixo que cubra seus custos e/ou um cachê preestabelecido. É tudo uma questão de diálogo.

Lembrando: isso é faça você mesmo. É sempre de bom tom que quem organiza o show ofereça um lugar pra banda de fora ficar (ou ao menos se certifique de que a banda terá um lugar pra dormir). O mesmo vale pra alimentação.

Se você está em contato com uma pessoa que você nunca viu na vida, tenha certeza de checar tudo sobre ela — seja através de amigos em comum ou dos eventos que ela já organizou — e combine tudo com a maior clareza e antecedência possível.

Como ir?

É melhor ir de carro? De ônibus? De avião? Aqui eu uso o texto de prestação de contas da turnê “Sem sair na Rolling Stone” da Lupe de Lupe como bibliografia. LEIAM: http://www.lupedelupe.com.br/notiacutecias/turne-sem-sair-na-rolling-stone-a-prestacao-de-contas

“ Aí que entra a loucura e os maiores erros da turnê. Gostaria de deixar aqui claros e evidentes estes erros. Não devíamos ter ido pro nordeste de avião nem alugar carros lá pra fazer as viagens na região. Isso fez um rombo enorme no caixa da banda, que fez com que a gente saísse com um prejuízo de R$30 (trinta reais só, isso mesmo, da turnê da parte do nordeste). Devíamos ter ido com o nosso carro velho mesmo, com calma e tranquilidade. Aí sairíamos com um lucro bruto do nordeste. O aluguel de carros e o preço das passagens de aviões foi uma perda grandiosa.”

A questão é a seguinte: ir de carro é melhor e mais barato em 99% das vezes. É mais barato, você vai com calma, e se mais de um membro da banda souber dirigir vocês vão revezando. Avião é só para casos em que realmente não dá pra ir de carro, já que encarece enormemente a viagem (vide o texto da Lupe). Prefira tirar mais tempo pra viajar, indo de carro com calma, fazendo mais shows e curtindo melhor. Eu não recomendo a ninguém ir viajar com banda de ônibus, a não ser que seja para alguns translados entre um show e outro, e de preferência que te busquem na rodoviária de carro. É extremamente desgastante ter que se locomover pela cidade carregando equipamento. Evite, se possível.

p.s. se for de carro, POR FAVOR, TOME CUIDADO COM OS EQUIPAMENTOS. Já perdemos a conta de quantos músicos tiveram seus equipamentos roubados de dentro dos carros durante turnês/shows aqui no Brasil. NÃO DÊ MOLE.

Capa do split da Better Leave Town e Kill Moves. Nesse carro que a BLT fez a maioria das turnês deles.

Lista de contatos

Aqui compartilhamos alguns dos nossos principais contatos em diversas cidades e regiões do país. Pessoas de confiança, que conhecemos e já nos receberam diversas vezes. Descubra e crie sua própria lista de contatos, ache cidades em que existem rolês dos quais nós não conhecemos, passe a palavra.

SAIBA QUEM É QUEM: não adianta pedir pra galera do noise organizar seu show de folk ou oferecer seu show de metal pra galera do indie. Tem produtores que trabalham com um leque mais eclético de eventos, outros não.

Sul

  • Rio Grande do Sul

Porto Alegre:

Minor House — https://www.facebook.com/MinorHousePortoAlegre/

Signos Pub — https://www.facebook.com/Signospub-153881078064098/

Canoas:

Wender Zanon (Paquetá) — https://www.facebook.com/Paquetasurf/

Caxias do Sul:

Jonas Bender Bustince (Honey Bomb Records) — https://www.facebook.com/honeybombrecords/

  • Santa Catarina

Florianópolis:

Gustavo (Les Adieux, Estorvo Records) — https://www.facebook.com/lesadieuxmusic/

Blumenau:

BNU PNX — https://www.facebook.com/bnupnx/

Jaraguá:

Diego Nens (Bar do Nens) — https://www.facebook.com/diego.nens

  • Paraná

Curitiba:

Better Leave Town — https://www.facebook.com/betterleavetown/

Felipe Soares (Concreto Morto) — https://www.facebook.com/concretomorto/

Memorial — https://www.facebook.com/memorialcwb/

Under Bad Eyes — https://www.facebook.com/Under-Bad-Eyes-164996736988389/

Meia-Vida — https://www.facebook.com/meiavida.ruido/

Sudeste

  • São Paulo

São Paulo:

Eduardo Santana (Howlin’ Records) — https://www.facebook.com/howlinrecords/

Sinewave — https://www.facebook.com/sinewavelabel/

Sorocaba:

Ariel Machado (Incesto Andar): https://www.facebook.com/incestoandar/

Medrar: https://www.facebook.com/medrartudo

Mi Casa Hostel e etc — https://www.facebook.com/micasaaberta/

Mofo de Ouro: https://www.facebook.com/mofodeouro/

Sound — https://www.facebook.com/SoundRockBar/

Campinas:

Bar do Zé — https://www.facebook.com/obardoze/

Odradek — https://www.facebook.com/odradekbr/

Piracicaba:

Odradek — https://www.facebook.com/odradekbr/

Coletivo D-existência — https://www.facebook.com/Dexistencia

São José dos Campos:

Diego Xavier (Estúdio Wasabi, CHCL, BIKE, Bigorna Discos) — https://www.facebook.com/estudiowasabi/

  • Rio de Janeiro

Rio de Janeiro:

Motim — https://www.facebook.com/motim302

Ostra Brains — https://www.facebook.com/ostrabrains/

Audio Rebel — audiorebel@gmail.com

Anderson Andrade (Les Cadavres Sont à Venir) — https://www.facebook.com/lescadavresontavenir/

Volta Redonda:

Coletivo Tiamät — https://www.facebook.com/coletivotiamat

Júlio Victor (Sasha Grey as Wife) — https://www.facebook.com/sashagreyaswife/

Matheus Muniz (Death Trip, Coletivo Cigano) — https://www.facebook.com/matheus.munizdecarvalho

The Alchemists — https://www.facebook.com/AlchemistsThe/

Petrópolis:

Gypsy — https://www.facebook.com/GypsyBarMulticultural/

  • Espírito Santo

Vitória:

Subtrópico — https://www.facebook.com/subtropico

Vitor Lima — https://www.facebook.com/vitor.lima

  • Minas Gerais

Belo Horizonte:

Diego Soares (El Toro Fuerte) — https://www.facebook.com/ilfortetoro/

Jonathan Tadeu — https://www.facebook.com/jonathantadeuoficial/

Divinópolis:

Walley Santos (Aura…) — https://www.facebook.com/aura.rock.aura/

Itaúna:

Coletivo Punho Cerrado — https://www.facebook.com/coletivopunhocerrado/

Uberlândia:

José Vitor Araújo (Desventura) — https://www.facebook.com/josexvitorberserk

Nordeste

  • Bahia

Salvador:

NHL Produções — https://www.facebook.com/nhlproducoesartisticas/

Rodrigo Gagliano/Vicente Gonçalves (Charlie Chaplin Goveia, Ivan Motosserra, Entorte Discos) — https://www.facebook.com/ivanmotosserrasurftrash/

  • Sergipe
  • Alagoas

Maceió:

Rodolfo Lima/Caíque Guimarães (Coletivo Popfuzz, Ximbra, Baztian) — https://www.facebook.com/coletivopopfuzz/

  • Pernambuco

Recife:

Felipe Soares (Amandinho, Transtorninho Records) — https://www.facebook.com/felipesoaresdesouza

Túlio Albuquerque (Kalouv) — contato.kalouv@gmail.com ou https://www.facebook.com/tulioalbu

Eu o Declaro Meu Inimigo — https://www.facebook.com/EuODeclaroMeuInimigo/

Santa Cruz do Capibaribe:

Phylipe Nunes (Nunes, The Mozões) — https://www.facebook.com/phylipe.nunes

  • Rio Grande do Norte

Natal:

Jônatas Barbalho (Talude, Ruido de Maquina, Vela, Transtorno Fest, Transtorno Filmes) — https://www.facebook.com/jonatas.bf

Shilton Roque (Born To Freedom) — https://www.facebook.com/shilton.roque

  • Ceará

Fortaleza:

Nanda Loureiro (Coletivo Triarte) — https://www.facebook.com/adiosmarceline

Allan Dias (maquinas) — https://www.facebook.com/allanddias

  • Paraíba

João Pessoa:

Shilton Roque (Born To Freedom) — https://www.facebook.com/shilton.roque

Vítor Figueiredo de Almeida/Luiz Lopes/Gabriel Novais (Emerald Hill) — https://www.facebook.com/emeraldhillband/

Campina Grande:

Hannah Carvalho (Bands on Frame) — https://www.facebook.com/hnnhcrvlh

Centro-oeste

  • Destrito Federal

Brasília:

Rafael Lamim (Enema Noise, Share This Breath) — https://www.facebook.com/rafael.lamim


É isso. Vão tocar em outras cidades, chamem bandas de fora pra tocar na sua cidade, dirijam com cuidado, façam amigos e se divirtam. É razoavelmente sobre isso que todo esse rolê se trata.