Carteira de motorista e carro próprio deixam de ser símbolo de liberdade para os jovens
Mílton Jung
416

Oi Milton. Excelente texto! Penso que existe também todo um trabalho de base que vem acontecendo com a expansão das ciclovias — pais levando filhos para a escola de bicicleta ou mesmo um passeio no final de semana de metrô — ajudará desde cedo apresentar alternativas, que não o carro, como deslocamento.

A forte recessão que estamos sofrendo (e tende a aumentar), somada ao enfraquecimento do lobby que ainda é feito às montadoras (insustentável neste cenário econômico) e a explosão dos juros, fará com que o clássico sonho brasileiro de comprar seu automóvel seja postergado frente à necessidades mais urgentes. As pessoas tendem a adaptar-se às ferramentas e oportunidades que tem em mãos. Sem falar no trânsito insuportável das grandes cidades.

Existe um episódio, talvez da série “How I Met Your Mother”, em que um dos personagens é promovido no trabalho e para ostentar aos seus amigos ele compra um baita carrão. Promete uma surpresa a todos e quando mostra o grande segredo aos amigos eles viram e falam: “Cara… você mora em NY. Ninguém nem consegue andar de carro aqui.”

Você já viu alguém no Instagram ostentando sua impressora HP jato de tinta nova? Então…

Abraços.