Calçadão do CCJ terá nome em homenagem à jovem assassinado por policial militar em 2012

Em disputa acirrada que mobilizou as redes sociais do Centro Cultura da Juventude, jovem assassinado em 2012 terá seu nome dado ao calçadão do CCJ

Com a proposta de retirar grades que representavam barreiras simbólicas entre comunidade e espaços públicos na cidade de São Paulo, o ano de 2015 começou com a iniciativa do Centro Cultural (CCJ) da Juventude de também retirar as suas.

Com as tais grades retiradas, em setembro, o CCJ promoveu um concurso para homenagear alguma figura importante que posteriormente teria seu nome afixado no novo espaço que nasceria.

Imediatamente a campanha foi um sucesso, diversos formulários foram respondidos por meio do portal do CCJ, os mais variados nomes foram lembrados, desde o pedagogo Paulo Freire, até personalidades míticas do bairro de Vila Nova Cachoeirinha, como foi o caso de Neusa Rodrigues Barcelete, mais conhecida como “Neusona”.

A moradora do bairro recebeu grande parte dos votos, mulher negra, Neusa foi uma importante liderança na região, conhecia grande parte de seus vizinhos e ficou famosa por seu espírito humanista e por ser uma exímia ‘trançadeira’.

Um grande Viva pra galera da quebrada que se mobilizou para conseguirmos essa justa homenagem nesse jovem espaço que é o CCJ!

Contudo, o mais votado do concurso foi o jovem Douglas Rodrigues de 17 anos de idade que foi assassinado por um Policial Militar no ano de 2012 no bairro do Jaçanã (zona norte).

O caso de Douglas chocou a opinião pública que recebeu a notícia com indignação. Após levar um tiro sem razão de um policial, Douglas ainda teria forças para perguntar para seu assassino: “por que o senhor atirou em mim?”. Essa frase ecoou nos canais alternativos de comunicação e proporcionou uma ampla reflexão social sobre o papel da polícia e da segurança pública.

Embora tenham sido mais de 40 nomes concorrentes, todos com sua importância e representatividade, apenas um poderia virar o nome do calçadão do CCJ, este que será mais um espaço para atividades e encontros da juventude local, que com cultura e lazer com certeza terão um destino diferente de Douglas, e fazer deste, uma forma de sempre lembrar sua memória.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.