Lucas nos últimos dias do seu tratamento

Lucas, um menino brasileiro que venceu o câncer no Canadá

Lembra quando você tinha 17 anos? Eu lembro. Vida saindo pelos olhos. Metabolismo alucinado. Um devorador de coisas novas. Ingênuo quanto ao que seria e viveria até hoje. Quanta coisa aconteceu nestes anos todos! Com você foi diferente? Se você pudesse escrever uma carta para você mesmo, lá nos seus 17 aninhos, o que diria do você de hoje? Qual seria sua história? Quais seriam suas cicatrizes?

Lucas completa hoje 17 anos. Um menino. Aos 16 anos descobriu um tumor maligno no cerebelo! De cara, sua visão foi comprometida. Seus sonhos de ser um jogador de futebol, suspensos. Seus estudos paralisados. Sua família desestabilizada. Para tudo. Iniciam-se tratamentos extremamente agressivos, constantes e precisos. Muita dor, muito choro, muitas indagações. Amigos, família, desconhecidos, anjos e sua força vão revertendo o jogo. Um ano depois: a cura.

Um dia a mãe do Lucas pedia um sinal de Deus sobre o tratamento dele, e que fosse uma borboleta. Chegando em casa uma nuvem de borboletas a esperava.

Conversei com Lucas e vi um futuro. Vi o Lucas lá na frente, driblando obstáculos e marcando vários gols. Vi Lucas lá no dia do seu aniversário de 37 anos, escrevendo para si mesmo aos 17. Segue sua carta.

[Isso é uma carta ficcional, mas é tudo que te desejo. Vai lá e arrebenta!]

.

“Recife, 08 de Abril de 2036

Fala Lucas…

É meio estranho escrever uma carta pra gente mesmo no passado, mas vou tentar.

Hoje é o meu aniversário. Quer dizer, é nosso, né?!

Se eu tô fazendo 37 anos, quer dizer que você tá com 17. Cara, quanto tempo!

Nem parece que passou tanto tempo assim. Quanta coisa aconteceu nesses 20 anos! Nem acredito.

Tenho vindo pro Brasil quase sempre. Hoje tô aqui por sinal. Painho e mainha estão bem pra caramba, mas mudaram pra cá de vez. Então, sempre que posso estamos juntos. Ainda mais agora que são avós! Já viu, né?!

E como hoje é o nosso aniversário, ficou melhor ainda. Festão. Ela tá muito feliz. Aquele jeitão dela. Te mandou um beijo, painho também. Aliás, ela ontem fez aquela pizza! Lembra? Maravilhosa!

O Léo é figura. Virou médico mesmo. Acredita? Conseguiu. A gente pensava que aquele bagunceiro mudasse de ideia, mas…. Tá morando em Londres. Super bem. Diz que vem pro Brasil no Natal. Vamovê. Ele sempre diz isso e acaba furando. Você sabe como a gente brigava, mas se amava, né? Coisa de irmão.

Hoje batemos uma bola lá no Clube do Alemão. Tá lá ainda. Juntamos os amigos e fomos lá brincar um pouco. Painho só buzinando do lado do campo. Ainda tô batendo um bolão. Apesar do joelho, e da barriga! Graças a você! HEHEHEHE. Futebol não saiu do nosso sangue. Mas, você vai ver: depois dos 30, é mais brincadeira mesmo.

Ah, o Brasil ganhou uma copa do mundo neste tempo todo.

Você vai abrir um escritório de Arquitetura aí no Canadá. Você tá em Toronto, né? Enfim, você vai descobrir por si mesmo. Passamos um aperto no começo, mas depois fomos construindo muitos sonhos. Agora a gente vai abrir um aqui no bairro das Graças também. Vai quê. O Brasil é aquela coisa, né?! Sobe, desce, roubam aqui, roubam ali, não muda… mas, quando você vem pra cá, acabamos curtindo. A saudade aumenta com o tempo.

Perai…. já volto.

Seu filho tá aprontando aqui (é… você terá filhos, se prepara!). Não vou falar nomes, senão perde a graça. Ah… sua esposa (que é a minha esposa, claro)…. Really, não sei como a gente conseguiu uma mulher daquelas. Quer dizer, é óbvio que eu sei. Mas, ela é melhor do que eu e você imaginávamos. Linda e companheira. Mainha até gosta dela.

Deixa eu falar: a gente saiu daquela. Nunca vou me esquecer desta parte da nossa vida, que eu sei que é a sua vida aí, de 20 anos trás. Mas, eu tô aqui, a gente chegou aqui! De vez em quando tem que dar uma averiguada, vê se tá tudo ok. Rotina. O bom é que hoje tá tudo BEM mais moderno e fácil. Mas saiba: está tudo bem. Nós vencemos. Sei que foi difícil. Painho e Mainha ralaram e sofreram pra caramba com essa história toda. Lembro que a gente ficava se perguntando do por quê de tudo aquilo…. Hoje olho pra trás, 20 anos atrás, e vejo que foi tudo uma vida mostrando sua cara. Pagamos tudo o que devíamos. Muita gente nos ajudou. E essa gratidão nos acompanhou em todo esse tempo.

Até agora muitas pesquisas e descobertas foram realizadas. Muitas vidas já foram salvas dessa maldita doença. Mas, infelizmente, sempre aparecem novas pragas. Só que a sede da vida está constantemente brigando contra a morte. O SickKids cresceu pra caramba. Está com um novo hospital. Sempre vou lá ajudar. Voluntariado, sabe?!

Tenho que parar por aqui…. estão me chamando pro parabéns. Aliás, parabéns pra você também. Você está fazendo 37 anos! Cercado de vida, amor, uma família linda e cada vez maior, carinho, com boas lembranças (sim, boas lembranças) e com saúde! Isso que importa. Sempre vai aparecer um ou outro perrengue, mas saiba que sempre terá uma borboleta branca no seu caminho.

Assinado, a gente”

Campanha Somos Sempre Lucas

Hoje, 08 de abril de 2016, Lucas está curado. Está nas últimas fases do seu tratamento. O tumor desapareceu. Porém, seu tratamento é pago e ele ainda necessita de ajuda. Você pode fazer parte dessa carta e dessa história na vida desse garoto guerreiro. Qualquer ajuda é uma GRANDE ajuda, esse é o objetivo desse post.

Acesse o GoFundMe e dê uma força.

Parabéns Lucas e muitos anos de vida.

.

Cadastre seu email aqui e receba uma baciada de informações sobre essas terras canadenses.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.