Venda mais com técnicas do visual merchandising

pixabay

Muita gente já ouviu falar em técnicas do visual merchandising. Mas, na prática, você sabe como elas podem te ajudar?

Para começar, vale esclarecer o significado desse conceito, que nada mais é que um conjunto de técnicas utilizadas em pontos de venda. O objetivo é melhorar a comunicação do ambiente com o cliente, aumentando a rentabilidade por meio de ações que estimulam a compra.

Assim, as técnicas do visual merchandising melhoram a apresentação dos produtos e motivam as decisões de compra, contribuindo para o aumento no número de vendas. Ou seja, os produtos estão dispostos de forma ativa, para “se venderem” por si só.

Você também pode estruturar toda a experiência do seu cliente no ponto de venda de acordo com essas técnicas e, assim, melhorar os resultados de vendas. Quer aprender? Confira aqui:

Vitrine: “A primeira impressão é a que fica”, já diz o ditado, e a vitrine é o primeiro contato da loja com o cliente, promovendo compras por impulso. Chame a atenção, motivando as pessoas a entrarem, por meio de uma boa vitrine. Procure utilizar manequins mais humanizados, com posições menos rígidas. Outro ponto importante é a atualização. Observe, por exemplo, o clima. Se naquela semana a temperatura caiu ou subiu demais, porque não mudar a vitrine antes do tempo previsto em seu planejamento?

Preços: As peças expostas na vitrine têm que estar adequadas ao perfil de compra do seu cliente.

Ambiente: Transforme sua loja em um espaço acolhedor. Poltronas e um cafezinho fazem diferença para quem compra e para quem está acompanhando o cliente.

Organização: Organização e limpeza são fundamentais. Portanto, nada de deixar todos os produtos à mostra, muito menos pilhas de caixas. Dê destaque aos mais importantes no momento.

Localização: Os locais mais vistos pelo cliente são os de maior circulação de pessoas. Nesses locais, os produtos têm naturalmente mais destaque, então chame a atenção para os locais mais escondidos, com decoração específica ou pontos de luz, por exemplo.

Calendário: Mude o visual da loja de acordo com as datas comemorativas — e você não precisa se limitar às mais utilizadas pelo comércio. Dia das mães é sempre muito lembrado, mas e quanto ao dia dos avós? Seja criativo para planejar as datas, criar promoções e ambientar seu ponto de venda.

Sentidos: Você não precisa se limitar ao visual, que é o mais óbvio. Explore outros sentidos de seu cliente, como olfato, perfumando suavemente a sua loja, e audição, colocando som ambiente agradável. Só tome cuidado com exageros na intensidade da fragrância ou no volume da música.

Embalagens: Elas carregam sua marca para dentro da casa do cliente, então invista em embalagens criativas, que façam a sua marca ser lembrada.

Capacitação: Conhecimento é fundamental, e você pode aprofundar o seu nesse assunto por meio de cursos, leituras e eventos dentro da temática, como no Desafios do Crescimento, que o Sebrae realizará em outubro.


Já leu nosso último post “Tenha reuniões mais rápidas e eficazes”? Confira aqui.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.