Desabafo: um post muito, muito pessoal

Tive umas decepções com o blog essa semana. Desde que passei a ter o mínimo de visibilidade, percebi que a exposição tem um lado ruim que me esqueci de cogitar quando comecei tudo isso.

Faço esse trabalho com muito carinho. A cada post aguardo ansiosa a interação, sempre com o desejo de que aquilo alcance muitas pessoas e as ajude. Vibro com cada curtida no Facebook e quase infarto a cada inscrito no canal. Mas ultimamente, especialmente depois dos vídeos, alguns caras apareceram tentando puxar assunto como quem está interessado no que digo, mas eles estão só tentando se aproximar. Tentando ver o que conseguem comigo.

Essa semana que passou a Mar Pascoal, do La Garota teve uns comentários meio pesados em um vídeo dela. Coisas do tipo “Mais alguém só ficou olhando os peitos dela?”, foi um dos piores que li. Eu esperava por haters quando fiz o blog e canal, mas esqueci que sou mulher e que devia esperar também por assédio moral.

Você imagina o quanto é cruel ver que alguém comentou um post seu e, quando chega lá, descobre que a pessoa só queria saber se você é casada? Quando foi que, num post sobre vegetarianismo, dei a entender que estou procurando isso? Tenho me sentido um lixo a cada contato desse tipo, quando a gente acha que finalmente o que falamos foi relevante pra alguém, mas daí é só mais do mesmo. Mais um cara tentando descobrir o que consegue com a gente. Mais um cara que nos segue pelos motivos errados.

E teve mais uma coisinha. É algo importante.

Gente, eu adoro falar sobre vegetarianismo e amor aos animais, mas falar principalmente disso está me fazendo muito, muito mal. Eu explico:

A indústria do consumo é inteira cruel. Jamais conseguiremos, nenhum de nós, viver sem prejudicar os animais de alguma forma e sem alimentar uma indústria que explora seres sensientes.

Acaba que de tanto pesquisar assuntos pra trazer pra vocês, de tanto ver repetidas vezes o quanto vivemos em uma sociedade hipócrita (todos somos. TODOS.) e de tanto ver gente apontando o dedo uns pros outros, faltando com compreensão e educação, tanta briga, tanta arrogância, tanto se achar melhor que o outro… mesmo sempre tendo algo que não é bem cruelty-free assim, um eletrônico, um carro, um descolorante de cabelo… eu estou me tornando uma pessoa triste e neurótica. Tudo o que consumo tem culpa, fiquei excessivamente sensível a o quanto sou podre pelas coisas que consumo e fica difícil demais cogitar tudo o tempo todo.

Posso fazer um post falando melhor sobre isso outro dia, porque este já está ficando muito longo. Peço desculpas a quem esperava de mim uma postura mais firme diante da causa animal, mas sou apenas alguém tentando ser melhor e fazer mais gente melhor, só isso.

E com esses dois dados, estou realocando tudo por aqui. Vegetarianismo faz parte da minha vida, causa animal me interessa, quero ser melhor a cada dia, mas vou precisar dar uma desligadinha e às vezes falar de uma blusa de lã que gosto muito. E antes que alguém apareça para me apedrejar por isso, lembre-se que eu sei, e você também sabe, que tem umas coisinhas aí na sua vida que também não são tão legais assim. Devíamos nos apoiar e não nos atacar.

Da mesma forma, acho que vou voltar os conteúdos mais para mulheres. Não me entendam mal, não gosto de generalizar, mas eu mesma vou me sentir mais à vontade. Se você é homem e me segue porque gosta do que eu digo, por favor, me desculpe!! Não é de você que estou falando e eu agradeço muito, muito as suas visitas!! Só talvez o canal fique um pouquinho mais girly. Mas nunca perderá a essência e todas as pessoas interessadas nos assuntos são bem vindas, sempre.

Então, eu só queria falar isso mesmo. Este é um post de diário sim, mas em forma de desabafo. Gostaria demais que interagissem comigo aqui contando as dificuldades que enfrentam nesse mundo on-line e, se tem canal e blog, deixe aqui pra eu conhecer.

Obrigada por ler até o fim e nos vemos nos próximos posts.

Conheça o CANAL DO BLOG NO YOUTUBE, feito com todo amor, carinho e unicórnios vegetarianos!! :)


Originally published at www.vivendovivi.blogspot.com.br on October 19, 2016.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Viviane Lemes’s story.