Por que a Sasha Grey saiu da pornografia?

Texto original do Radical Hub

Sasha Grey é uma ex vítima da pornografia que foi conhecida por participar de quase todos os tipos degradantes de atos disponíveis na pornografia. Antes de se aposentar, ela era a mulher mais conhecida do setor, depois de Jenna Jameson (fonte: Pornland de Gail Dines, p.41). Em sua primeira filmagem pouco depois de seu aniversario de 18 anos, pediu a seu co-estrela (estuprador pago) para esmurra-la no estômago. Ela também afirma ter inventado lamber um assento de vaso sanitário como parte de uma cena na pornografia.

Depois de estar na indústria do pornô por apenas cerca de três anos, a Sra. Grey se aposentou do negócio de exploração filmada. Mas por que, se a indústria era tão lucrativa e ela amava tanto sexo, ela se aposentou?

Como Grey disse em seu anúncio oficial, ela se aposentou porque seu “tempo como atriz de filmes para adultos expirou”. Ou seja, aos 21 anos, ela e leite antigo têm muito em comum. Por que é que três anos de vida na indústria desgastou ela dessa forma?

Poderiam ser os atos degradantes que ela tem realizado no decurso da sua carreira. Seu gerente afirma que quando ela veio para ele, ela declarou que estava pronta para participar de todos os atos que ocorrem na indústria. Grey construiu um nome para si mesma como “disposta a fazer qualquer sexo necessário para se tornar uma estrela.” (Fonte: Pornland, página 40). Talvez os incidentes de DSTs, os arranhões, contusões e hemorroidas, causados pelos atos em que ela se envolvia, ou a ameaça de um ânus prolapsado, fizeram seu preço em Grey.

No entanto, Grey insistiu que ela gostava de seu tempo na indústria. Ela afirmou que três quartos do seu tempo no set, ela experimentou orgasmos genuínos, e diz que ela está realmente lutando para liberar as mulheres sexualmente. Ela afirma que ela se juntou à indústria onde ela experimenta “auto-exploração de primeira mão, e eu estou chegando a fazê-la de uma forma positiva ao sexo.” Ela chegou até a dizer que sua razão para entrar na pornografia foi para livrar-se da vergonha sexual e tirar o estigma da indústria.

Mas as mulheres na prostituição e na pornografia freqüentemente papagaiam uma mensagem positiva sobre sua degradação. Na verdade, é parte do trabalho de uma mulher prostituída manter a ilusão de que ela gosta da indústria. Jenna Jameson é uma dessas vítimas da pornografia que muitas vezes afirma que a violação filmada/pornografia é empoderadora, e que seu interesse pela pornografia brota de sua alta libido (fonte: Pornland, p.35–38). No entanto, esta mensagem nem sempre é consistentemente positiva, o que pode nos levar a perguntas sobre como autenticamente “empoderadora” elas realmente acreditam que a pornografia seja. Como Jameson diz em seu livro:

“A maioria das garotas obtém sua primeira experiência em filmes gonzo — em que elas são levadas para um apartamento de estúdio miserável em Mission Hills e são penetradas em cada buraco possível por algum idiota abusivo que pensa que seu nome é “Vadia”. E essas garotas, algumas das quais têm potencial para se tornarem grandes estrelas na indústria, vão para casa depois e prometem nunca mais fazer isso porque foi uma experiência terrível. Mas, infelizmente, elas não podem ter essa experiência de volta, então eles vivem o resto de seus dias com medo de que seus parentes, seus colegas de trabalho, ou os seus filhos vão descobrir o que elas inevitavelmente fazem.”

Assim, também, podemos ver que Grey não é sempre consistente em sua mensagem de que ela gostava dos atos em que participou, ou que a violação filmada/pornografia é boa para as mulheres. Por exemplo, ela admite que 99% dos orgasmos na pornografia são falsificados. Isso contradiz sua declaração anterior de que ela experimentou um orgasmo em 3/4 das cenas em que participou. Além disso, ela expressa repulsa com alguns dos atos que teve de suportar. Além disso, ela admite que não gostaria de ser abusada do jeito que ela estava sendo na pornografia por um parceiro íntimo ou em sua vida pessoal.

Sasha Grey não está tão enamorada com a indústria pornográfica como ela afirma. Em outro momento ela dá a seguinte razão para sair da pornografia:

“Eu tenho uma ótima oportunidade de estar em um filme de Steven Soderberg e depois disso eu mudei de ideia e eu decidi que eu iria para isso, e tentar algo diferente e tentar algo novo. […] Eu senti como se tivesse conseguido o que eu queria como intérprete.”

Sasha Grey admite mudar sua mente sobre pornografia quando ela teve outra oportunidade apresentada a ela. Ela, uma mulher que foi exposta pela primeira vez à pornografia como uma menina menor de idade (alguns relatos afirmam que ela tinha 16 anos, e outros afirmam que ela tinha 11), percebeu que praticar atos degradantes, violentos e pornográficos não é para ela.

Em 2009, no entanto, ficou claro para pelo menos uma pessoa que a Sra. Grey não estava na pornografia porque a amava tanto — ela estava planejando usá-la como um trampolim para filmes não adultos.

“Sasha decididamente decidiu ter uma presença extrema na pornografia para conseguir uma entrada para Hollywood”, diz Nick Jarecki, produtor executivo do novo documentário do Mike Tyson, que se reuniu com ela no ano passado sobre um papel em outro filme. “Minha impressão de sua atitude é que a pornografia, enquanto parte de seu pastiche, é finalmente uma porta de entrada para suas idéias mainstream e carreira de atriz.”

Mas essa fantasia do Moulin Rouge é impossível para quase todas as vítimas da pornografia. Histórias como a de Grey servem apenas para recrutar mais mulheres excepcionalmente jovens para esta indústria prejudicial e perigosa, para serem cuspidas quando elas tiverem “expirado”.

A pornografia é o ato de fazer ódio aos corpos das mulheres. Sasha Grey é uma mulher muito inteligente, e eu estou tão feliz por sair da indústria pornográfica. No entanto, seu sucesso ajudou a recrutar mais mulheres jovens para o negócio de vítimas de estupro filmado, para que seus corpos fossem usados exatamente como os dela. Não há nada de progressivo, ou positivo sobre isso.