O Tao da Autonomia
Nicolau Ballesté
1972

Uma das coisas que sempre fiz, talvez seja por razão de ser um tanto quanto introspectiva, foi observar. O ato da observação é realmente fascinante e sempre tive ideias pra escrever vindo deste exercício cotidiano. Acho que aproveitar essa minha característica que antes que achava que era uma desvantagem, especialmente na adolescência por ser tímida demais, vejo hoje com outros olhos e me trouxe mais autonomia. Um amigo nosso em comum, Alex, a.k.a pai (😂), me dizia pra nunca se esquecer da sua essência. E isso realmente faz toda a diferença. Mesmo.

Like what you read? Give Bárbara Gaia a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.