Governo de fazendeiros

Apreensão de madeiras retiradas de áreas desmatadas na Amazônia. Foto: SMAS/PA

Mesmo com o recente veto de Temer a Medidas Provisórias 756/2016 e 758/2016 que reduzem a proteção ambiental em 600 mil hectares das unidades de conservação ao longo das rodovias BR-163 (PA), e retiram 10 mil hectares do Parque Nacional de São Joaquim (SC), o país precisa continuar a agir contra as medidas que estão sendo tomadas pelo governo impostor e que agride profundamente o meio ambiente. Veja algumas mudanças que estão ainda estão pauta do agronegócio, em grande parte apoiada pela base de sustentação do governo Temer:
 Media Provisória 759/2016 que permite a qualquer pessoa, inclusive prepostos de empresas, requerer a titulação de áreas públicas, com até 2,5 mil hectares, que tenham ocupado ilegalmente. É a grande onda de legalização da grilagem e desmatamento de terras públicas.
 PEC 215 em tramitação e que afeta gravemente a demarcação das terras indígenas e favorece os grileiros e latifundiários do agronegócio.
 PEC 3.729/2004, Lei Geral de Licenciamento que favorece os donos do agronegócio.