Carrossel — um miniconto… {#ClubedaEscrita}

Havia um carrossel estranho e mágico que atraia muita curiosidade daqueles que passam por ele. Um dia desses qualquer, o tal carrossel começava a se consumir em chamas e ninguém simplesmente sabia o motivo de sua morte. Os choros copiosos desciam pelas bochechas alheias aos montes, menos de uma pessoa. Ela sabia o motivo da morte do amado e desejado carrossel. Ela havia se apaixonado naquele mesmo símbolo local e também foi traída da pior maneira. A cada estocada que a pessoa amada por ela dava numa desconhecida qualquer fez com que um poder pudesse fosse invocado. A desconhecida, ainda desacostumada pela quase impossibilidade de transar ali, viu olhos tresloucados cortar prazerosamente a garganta da pessoa cujo pinto estava dentro dela ao mesmo tempo que ria. O sangue que caia por cima daquela desconhecida fez com que a pele dela ardesse de modo infernal, penetrando pelo corpo, até que o líquido virar chamas. Os gritos eram insuportáveis, assim como a dor da desconhecida, o corpo derretendo, carne, tecido, ossos e mais partes dela se tornava líquido, como se o fisicalidade do corpo dela fosse como uma barra de ouro. A pessoa amada teve o mesmo destino, implodindo de dentro para fora. Ambos derreteram até se misturarem ao fogo que matou o carrossel e nunca descobertos na carcaça do antigo símbolo. E quando ninguém olhava, a pessoa que havia sido a causa da morte cuspia rezando para que os traíras transantes ainda queimassem no plano espiritual.