Seu fim está próximo

Caros combustíveis fósseis,

É com grande prazer que anuncio que seu fim está próximo: 127 de 193 países membros da ONU aderiram a meta a longo prazo para limitar o aquecimento global a 2 graus Celsius.

A máscara do grupo de vocês está caindo, pois hoje o mundo sabe o mal que causam: o carvão possui a maior emissão por unidade de energia, ele libera 22% de CO2 a mais que petróleo, e 68% mais que gás. Porém, o mais importante é claro: todos poluem.

Apesar de ainda existirem empresas como a Siemens, que vão continuar investindo em vocês por ‘um longo tempo’, o caso de amor não reflete-se globalmente, muitas universidades estão deixando de investir: Stanford University, Sterling College, University of Dayton, University of London…

A lista é longa, e se você quiser saber mais sobre quem está te deixando, esse site produziu uma boa lista:

Muitas empresas também estão compreendendo a importância de deixar de investir em vocês, tanto para os lucros das próprias empresas quanto para a humanidade. Eu sei que a essência de vocês não é ruim, mas a maneira como estão sendo utilizados é.

Todavia, vocês devem estar felizes com o caso sério de amor que mantém com alguns países, especialmente com os do G7, que conseguiu diminuir a meta de 2 graus Celsius para 1.5, pode parecer pouco, mas as consequências são muitas, como catástrofes naturais inconstantes tornarem-se constantes.

Aqui no Brasil com certeza vocês se sentem em casa, graças aos muitos investimentos efetuados em combustíveis fósseis. Porém, com certeza estão com uma pulga atrás da orelha, não?
Atualmente o Brasil possui o maior campo de energia eólica da América Latina, e pretende continuar desenvolvendo em seus grandes potenciais naturais energias sustentáveis. No momento, o Brasil não pode ser apenas uma pulga atrás da orelha, e sim uma força que se manifeste contra os combustíveis fósseis, mais um país na lista dos que aderiram a meta a longo prazo para limitar o aquecimento global em 2 graus Celsius.

É necessário que tenha uma meta a longo prazo para combater os combustíveis fósseis, que atualmente fazem a festa por aqui. Tenho esperança de que em pouco tempo essa festa acabará, e que vocês, combustíveis fósseis, serão rapidamente expulsos do Brasil.

Laís Vitória Cunha de Aguiar.

Este artigo foi originalmente publicado em Farol do Interior SP