Numa viagem pelos Passadiços do Paiva

Os Passadiços do Paiva localizam-se na margem esquerda do Rio Paiva, no concelho de Arouca, distrito de Aveiro. São 8 km que proporcionam um passeio “intocado”, rodeado de paisagens de beleza ímpar, num autêntico santuário natural, junto a descidas de águas bravas, cristais de quartzo e espécies em extinção na Europa.

O percurso estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau.

Cátia Cardoso nasceu a 26 de julho de 1997 e é natural de Arouca. Assume-se como uma apreciadora compulsiva da Natureza e, como tal, os Passadiços do Rio Paiva não poderiam deixar de cativar a própria.

Desta forma, conta-nos um pouco da sua experiência e da sua visão sobre o local.

“(…) Se há um paraíso em Arouca pode afirmar-se que está na zona do rio e dos passadiços.”
Cátia Cardoso na margem do Rio Paiva

Muitas vezes “os Passadiços do Paiva” foram considerados como o paraíso natural de Arouca. Concorda?

Se há algo de que Arouca se pode gabar é de ter sido abençoada pela mãe natureza. A serra da freita, a aldeia de drave, o próprio rio Paiva em si, fazem parte dos seus tesouros naturais. Porque os passadiços são uma estrutura humana não são naturais, agora permitem, isso sim, mostrar às pessoas um paraíso natural. E são, obviamente, algo de maravilhoso, pois ao longo de todo o percurso somos confrontados com as maravilhosas paisagens do rio e das suas margens. Neste momento, sim, se há um paraíso em Arouca pode afirmar-se que está na zona do rio e dos passadiços.

Como habitante de Arouca sente que pode nutrir algo mais pelos Passadiços do que os turistas que os visitam ou é possível a transmissão de sentimentos e visibilidade da mesma forma?

Eu sendo natural da freguesia em que estão inseridos os passadiços e tendo passado toda a minha infância literalmente nas margens do rio Paiva, tenho agora um orgulho imenso em ver este local ser admirado por todo o mundo. Para mim, esta zona será sempre especial. Talvez a mais especial de todas as de Arouca, porque é a que me diz mais diretamente respeito. Embora este possa ser um motivo para orgulhar todos os portugueses, também devido ao seu reconhecimento além Portugal. Mas, para mim, e acho até que para todos os arouquenses, será sempre de uma forma mais peculiar.

A Natureza é essencialmente admirada por conseguir provocar/despertar sensações/sentimentos em que perde tempo para a admirar. Que sentimentos transmitem os passadiços?

Os passadiços não são natureza. Aquilo que é possível sentir percorrendo os 8km de passadiços será mais proporcionado pela paisagem envolvente e dependerá de cada pessoa. Eu sinto calma e alegria, outra pessoa poderá desenvolver outros sentimento.

Numa frase, os “passadiços do paiva são ..”?

Um fenómeno único!

O local é também conhecido pelos incêndios de que foi portador. acha que de alguma forma isso prejudicou o local?

Claro que prejudica sempre. Prejudica porque torna interdito o acesso durante algum tempo e também porque mata, de certa forma, parte da natureza. Porém, Arouca tem sabido como resolver esses problemas da melhor forma, e de forma a que a afluência ao local não diminua, porque continua a existir imensa gente a querer visitar os passadiços é imensa gente que já visitou a querer voltar.

Porque recomendaria a outras pessoas a ida aos Passadiços?

Porque os Passadiços do Paiva são um sítio único no mundo, onde é possível um contacto com a natureza, uma natureza que até há pouco tempo não era acessível, e, agora, sendo, acho que ninguém devia perder a oportunidade de conhecer.

Cátia nos Passadiços do Paiva
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bárbara Rodrigues’s story.