Is it natural to expose yourself?

— Para ler esse texto em português do Brasil, role a página para baixo —

Here I am, at the arrival of the full moon, recognizing the beauty of life’s eternal movement towards balance. The full moon is the culmination of a relational movement of the moon with the earth and the sun. In this phase of the moon, it is placing itself in a spot of total exposure to the sun, receiving and reflecting light, without hiding behind the planet it orbits. This movement of full exposure is what makes it possible for the moon to be seen by us in all its shape and fill.

When was the last time you put yourself in this position? 🌕

I don’t know how it is for you, but for me this is not an easy and comfortable movement. I have observed a lot of resistance in making this movement (a fear of shining my light out). After all, exposing myself is making myself vulnerable, it is showing my imperfect shape and filling. Behind this fear of shining is the fear of being seen and, more than that, the fear of being seen but not validated, of failing to sustain the light.

Are you afraid of failing? Do you face fear or hide to not shine? ✨ 🫣✨

This fear is very common and can be a major limiting factor when it comes to risking exposing yourself (and imposing yourself). Being aware of this conditioning is the first step to being able to be and express your potential. A second step that can help is to bring a little more lightness to this point of view: questioning and relativizing the certainty of failure and, to the same extent, removing the weight of having to sustain and maintain the light. The moon teaches that everything is a phase, that brightness happens at its own pace, in a natural way, and does not need support.

Life is a cycle; eternal movement and transformation! Enjoy and play!!! 💚

[PT] É natural se expor?

Aqui estou eu, na chegada da lua cheia, reconhecendo a beleza do eterno movimento da vida em busca do equilíbrio. A lua cheia é o ápice de um movimento relacional da lua com a terra e o sol. Nessa fase da lua, ela está se colocando em um lugar de total exposição ao sol, recebendo e refletindo a luz, sem se esconder atrás do planeta que orbita. Esse movimento de total exposição é o que possibilita que a lua seja vista por nós em todo o seu contorno e preenchimento.

Quando foi a última vez que você se colocou nessa posição? 🌕

Não sei como é pra vocês, mas pra mim esse não é um movimento fácil e confortável. Tenho observado bastante resistência em fazer esse movimento …um medo de brilhar… afinal de contas, me expor é me colocar vulnerável, é mostrar meu imperfeito contorno e preenchimento. Por trás desse medo de brilhar está o medo de ser vista. E mais do que isso, o medo de ser vista e não validada, de falhar na sustentação do brilho.

Você tem medo de falhar? Você encara o medo ou se esconde para não brilhar? ✨🫣✨

Esse medo é muito comum e pode ser um grande limitador na hora de arriscar a se expor (e se impor). Ter consciência desse condicionamento é o primeiro passo para conseguir ser e expressar o seu potencial. Um segundo passo que pode ajudar é trazer um pouco mais de leveza pra esse ponto de vista: questionar e relativizar a certeza da falha e, na mesma medida, retirar o peso de ter que fixar e manter o brilho. A lua ensina que tudo é fase, que o brilho acontece no seu ritmo de forma natural e não precisa de sustentação.

A vida é ciclo, eterno movimento e transformação! Aproveite e se jogue!!! 💚

--

--

Jo Dhanna Franco, Ph.D. | Mindfulness

🇺🇸 Designer and Facilitator of Transformative Learning Experiences | 🇧🇷 Designer e Facilitadora de Experiências de Aprendizado Transformativo