-atire em todos os porcos, menos os selvagens -

Vejo uma geração Não perdida, mas inexistente

Somos um entrelaço de almas alheias pois estamos muito cansados para buscar as nossas,

incomodados por uma amnésia criativa que nunca presenteamos para esquecer,

discutimos ao som do escorbuto aparente em nossas bocas que se degenera lentamente e, antes de começar, já é um objeto fadado.

Dominamos o absorver com maestria fazendo dele nossa arte mais bonita, nossa expressão mais verdadeira,

embora paradoxal.

Enrolamos cordas em nosso corpo que não pediram por uma função

e então,

esperamos por células doentes com fome de ócio.

Somos uma amarração.