“É sempre amor, mesmo que acabe”

Pensei em escrever na beira do mar como amar você era doce

Pra que tu não deixasse amargar

Quis criar filmes sobre nós dois com roteiros absurdos, pra você assistir

E não querer mais parar

Coloquei meu suéter e andei até teu sorriso incansáveis vezes por que

Ele sempre fez meu coração congelar

Sonhei com a nossa casa, teus cachorros, minhas plantas, e o colchão na varanda

Pra gente rolar

Seriam várias tardes rindo com cheiro de café, gargalhadas a ecoar

Bem no fundo você sabe, meu peito era o melhor lugar pro teu descansar

Mas sempre chega aquele momento que

- Precisamos respirar

Fazia tanto tempo que cê não me convidava pra dançar.

Like what you read? Give Bruna Bacck a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.