Uma quase página de diário — ou um suspiro de outono

Brinco de escrever você…
Imagino avenidas para dançarmos juntas,
iluminadas pela luz dos postes…
Descrevo praias para caminharmos de mãos dadas
ao som das ondas que beijam as areias…

Brinco de escrever você…
E coloco palavras em suas mãos
para que me escreva versos soltos
falando de amor
e dessas coisas meio bobas
que os corações adoram ouvir
e que ao final de tudo são a essência da felicidade…

Brinco de escrever você…
E faço fantasias com a minha solidão.
E faço da sua ausência, companhia…
E faço do vazio esta alegria,
escrevendo você a caneta
que é pra nenhuma borracha apagar. 

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Brunella França’s story.