Bruna Correa

Transformation Catalyst da Tribo

MINHA PRINCIPAL CRENÇA

Encoraje, inspire, e fortaleça uns aos outros. A energia positiva será sentida por todos!

O QUE FAÇO NA TRIBO

Eu sou a “Gringa” do time. Já que moro e estudo em Atlanta, nos EUA, eu estou co-liderando as operações comerciais da Tribo no país para que a empresa possa expandir seu impacto no mundo.


MINHA HISTÓRIA

“Autêntica. Corajosa. Inspiradora” — essas são as palavras que mais usam para me descrever e eu tenho muito orgulho disso. Mas como cheguei aqui?

Eu nasci em Belo Horizonte, Minas Gerais, e aos 9 anos comecei a jogar e competir tênis. O esporte ajudou na formação dos meus valores, os quais que guiam minha vida até hoje: resiliência, trabalho duro e paixão são alguns deles. Desde cedo, eu me destaquei como tenista, ganhando competições por todo o Brasil.

Assim, quando fiz 15 anos, decidi ir passar um ano na IMG Academy, uma das maiores academias de esporte do mundo localizada em Tampa nos EUA. Eu era muito nova e o ano que passei longe de casa foi muito difícil. Eu senti saudades da minha família, amigos e da cultura brasileira. Mas esse ano foi um dos mais importantes da minha vida, e um marco na minha história, já que foi aí que decidi que queria estudar e jogar tênis em uma universidade americana.

Assim, ir para o Estados Unidos jogando tênis por uma faculdade virou meu sonho e minha meta de vida. Depois que eu voltei da IMG, eu continuei estudando e treinando muito, e valeu a pena — fui aceita na Emory University (vigésima melhor universidade dos EUA) e na Georgia Tech (sexta melhor universidade de engenharia elétrica dos EUA) para cursar um duplo diploma: Economia e Matemática na Emory, e Engenharia Elétrica na Tech.

Em 2013, eu me mudei para Atlanta, nos EUA, e então se iniciou o período mais transformador e desafiador da minha vida. Eu quase não reconheço a Bruna que foi para os EUA naquela época. Mesmo que ainda tenhamos características fundamentais parecidas, como persistência e foco, atualmente sou bem diferente da menina que saiu de casa em 2013.

Pra começar, eu não jogo mais tênis. Depois de um ano competindo pela Emory, eu estava muito triste e desestimulada com o esporte e, assim, tive que enfrentar um dos meus maiores medos: de desistir. Que desafio. Tênis havia sido, até então, parte de mim. Eu era “Bruna a tenista,” e agora, o que eu seria?

Por sorte, tive pessoas que me guiaram a fazer o que o meu coração queria e eu saí do time. Essa foi a primeira vez que eu me permiti ser imperfeita. E quanto medo eu tive! Só pra depois perceber que a imperfeição é uma das maiores virtudes humanas.

Ter saído do esporte me abriu as portas para experimentar coisas novas e me redesenhar como pessoa. E nessa busca pela “nova Bruna,” eu cheguei até a entrar pro time de corrida da Emory, onde eu fui extremamente feliz, descobri minha paixão pelo esporte e conheci meus melhores amigos, que hoje em dia são a minha família em Atlanta.

Mais recentemente, em Outubro de 2016, eu fiz transferência da Emory para a Georgia Tech para dar continuidade ao meu duplo diploma e assim deixei de ser atleta. Com mais tempo livre, eu me envolvi com empreendedorismo, trazendo o Movimento Empresa Júnior para os EUA. Que experiência!

Ter começado a minha própria Empresa Júnior (Prime) e ter fundado a Associação Americana de Empresas Juniores (JE USA) me permitiu inspirar e liderar uma organização pela primeira vez. E eu me apaixonei pelo desenvolvimento de pessoas. Nada nesse mundo me dá mais satisfação do que ver outras pessoas crescendo ao meu lado, junto comigo.

Ao liderar a expansão da Tribo nos EUA, eu espero trazer experiências transformadoras para todos e todas. Eu vejo tantos jovens talentos sofrendo para descobrirem quem são e o que querem — e é isso que eu quero mudar. Acredito que, ao desenvolvermos líderes mais conscientes e com propósito, conseguiremos fazer desse mundão que nos abriga, um lugar melhor.


PARA ME CONHECER MELHOR


MEU LIVRO FAVORITO

Esse é um dos meus livros favoritos por ser tão humano. Agassi consegue contar sua história como tenista de forma tão autêntica e real. Ele entra em assuntos como felicidade e propósito de maneira muito profunda. Eu nunca li nada igual. É um livro que vale a pena, independente se você joga ou não tênis.


MINHA CITAÇÃO FAVORITA

“Eu sou o mestre do meu destino, eu sou o capitão da minha alma” — William Henley


Curtiu minha história? Quer bater um papo? Me manda um email: bruna@tri.bo :)

Like what you read? Give Bruna Correa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.