Querida Amante

Quando soube de você, o meu mundo inteiro desabou.

A boca ficou seca e meu coração bateu tão rápido que por instantes, achei que nem mesmo estivesse batendo.

Havia tanta adrenalina, senti na pele o conceito de crime passional. Eu o queria morto, queria feri-lo, dividir minha dor com meu algoz.

Como alguém, que eu sequer conhecia, poderia ter tanta influencia sobre minhas emoções?

Eu não me sentia eu mesma, nada fazia qualquer sentido e eu só queria que alguém me dissesse que era um sonho, um teste.

Mas não era, você era real. Pior! Você e ele, juntos, era uma nova e dura realidade.

Primeiro fiquei agressiva, então incrédula e depois aos prantos. Dias sem comer e sem querer me olhar no espelho. Eu estava de luto.

Cortei o cabelo, pintei e cortei outra vez. Não era vaidade, era desespero, meu grito de socorro. “ Por que fizeram isso comigo?”

Tudo o que eu vivi com ele, por nove anos, estava acabado. Dois filhos, dezenas de amigos, milhares de histórias, brigas e reconciliações.

A família dele não seria mais a minha, nem a minha seria dele. E a nossa, bem, a nossa família apenas não seria mais.

Eu nunca poderei contar nada que tive com ele, os beijos, as transas, as brigas, as risadas. Mas posso contar quantas vezes ele partiu meu coração em pedaços tão pequenos, que minha unica solução seria um coração novo.

Uma vez!

Me pergunto, todos os dias: como uma unica decisão pode por tudo a perder? Como uma unica coisa, pode acabar com tantas coisas incontáveis?

Eu não sei, afinal, não foi uma decisão minha. Foi somente de vocês.

Você sabia de mim, e junto a ele, um homem que você mal conhecia, tomou a decisão que mudaria a minha vida, as dos meus filhos e um pequeno mundo, com muitos habitantes.

Talvez você não pudesse medir as consequências dos seus atos , só ele poderia. E ali, o que importava para ele, não eramos nós, tampouco nossa história, era você e seu corpo que excitava o dele.

As pessoas sempre me disseram que eu era bonita demais para ele. Não que isso que me deixasse confiante sobre fidelidade, mas eu acho que pensei, algumas vezes, que ele não arrumaria nada melhor.

Eu evitei saber quem você era de fato, até me sentir pronta. E lá estava você. Nada demais, nem ao menos era bonita como eu imaginei. Sabe, meu anjo, isso não impediu nada não é mesmo? Também não mudou nada você ser bonita ou não, não doeu menos.

A culpa não é sua, menina. Não só sua. Eu não te odiei nem por um segundo sequer. Eu apenas queria que você soubesse que seu egoismo machucou outra mulher.

E no meu mundo, menina,nós protegemos nossas irmãs.

O cansaço da vida, nossa relação em colapso… E então você apareceu, sendo energia para uma mente fraca, um elogio para um ego mirrado.

No fim, menina, não é sobre ele me amar ou não, sobre ele ter sido teu algumas vezes ou não. Não tem a ver comigo ou com você. Tem a ver com o que era importante pra ele, mas de repente deixou de ser. Não tem a ver com amor ou desejo. Isso tudo é sobre caráter.

Aposto que sua vida em nada mudou. Mas você mudou a minha drasticamente, mesmo que eu nunca tenha lhe pedido isso. Mas não se preocupe, se não fosse você, haveria de ser outra. De qualquer forma, obrigada por me mostrar, da forma mais dolorosa possível, que a felicidade dele, não era a minha.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.