(des)apontamentos

O que é necessário para você se sentir completo?

Seriamos nós um bando de egoístas? Eu acredito que sim. Raramente nos sentimos satisfeitos, estamos sempre buscando por algo mais, sempre apontando o lápis com o qual escrevemos nossa história, nossas estórias…

Sempre atrás de algo novo, esperando que ali esteja a chave para a felicidade plena, ou apenas satisfação (não quero dar um ar utópico a nota).

Entretanto, Você já parou algum dia pra pensar que talvez o essencial esteja justamente na ponta gasta, ou quem sabe nas lascas, do seu lápis?

Tenho procurado escrever a minha história com cuidado, em meio a tantos desapontamentos precisei reapontar meu lápis algumas vezes. Quando se trata desse tipo de lápis e desse tipo de história que estamos escrevendo, não recomendo que se use uma borracha, eu, particularmente, prefiro riscar e colocar entre parênteses. Não porque eventualmente possa vir a recontar aquele trecho, mas para me lembrar sempre dos erros que não desejo cometer de novo, a borracha, por sua vez, pode nos fazer esquecer e não é esse meu objetivo.

As pontas que foram feitas? estão guardadas. Cada pedaço de grafite que se quebrou, cada lasca que apontei… tudo na caixa do meu consciente. Afinal, as histórias vieram delas e em cada uma tem uma outra história, pequenas notas.

Quero completar a minha história, quero me completar, com a ajuda de alguém, o lápis alheio será bem vindo, desde que venha para me ajudar a escrever coisas boas que poderão ser lidas por quem mais quiser…