Expovinho em Curitiba, valeu a pena?

Sim, e não.

Se a intenção era pagar os cinquenta e poucos, e encher a cara e comer bastante: ✔ ✔️ ✔️ ✔️️ valeu, e muito!

http://www.quirkbooks.com

Confesso que fui embora ‘cedo’ porque já tinha passado da conta (faz tempo).

Claramente, o vinho em Curitiba está ganhando mercado, o evento estava cheio, muito cheio! Mesmo com esse preço exorbitante cobrado nas lojas (malditos impostos!), aos poucos o vinho está deixando de ser “coisa de rico” e muitas pessoas estão se rendendo a um vinhozinho, seja pra um jantar, uma tarde no parque com amigos, pra sentir coisas diferentes, ou pra ficar bêbado sem ter que ir ao banheiro toda hora, como com cerveja.

Cada mesa de importadora/revendedora/etc oferecia MUITOS rótulos, muitos mesmo. Espumantes, brancos, rosés (poucos 😐) e os tintos, e a cada taça que dava um grauzinho a mais uma mesa repleta de queijos, salames, pães, patês, chocolates, e também um carneiro sendo feito a todo momento — que estava maravilhoso! — pra dar uma balanceada e te salvar.

https://www.buzzfeed.com (dá pra fazer um post inteiro só com gifs da Cersei bêbada 💛)

Mas, além disso? Nada. O negócio era encher a cara mesmo e tomar muitos vinhos que no final você não lembrava qual era qual e parecia tudo na média, meio igual. Um, ou dois, chamavam a atenção e você ficava com vontade de comprar de verdade, a maioria eram aqueles “sem erro”.

quem nunca ouviu “não sei qual vinho levar na casa do fulano. então leva um cabernet que não tem erro”, a maioria foi tipo isso

O que também é muito válido! Ninguém tem que comprar um vinho com mais corpo (a.k.a. que não seja muito leve) , que harmonize com x coisas, etc. Mas, pela proporção do evento e a quantidade de rótulos de cada mesa, poucos tinham aquela coisinha a mais que faz você tomar um gole, e depois mais outro, e te faz pensar HMMM.

Na minha opinião, dois brancos estavam realmente bons! Um chardonnay americano (Round Hill), e outro sul africano (Rhino).

Como porta de entrada pro mercado, ótimo! Deu pra sentir que o curitibano tá afim mesmo, de tomar muito vinho! Mas pra aguçar a língua, penso que um evento deste porte deveria ser mais coerente e bem organizado, trazendo surpresas pra esse consumidor.

Os vinhos brasileiros também foram pouco representados, o que é uma pena! Tem muita produção nacional excelente, que a maioria nem conhece. (o que me faz pensar: será que é falta de opções no mercado? será que é a super valorização da cultura estrangeira? será que são os impostos em cima do produto nacional ainda maiores que sobre as importações? acho que tudo isso junto…)

Vou fazer mais uns textos pra discutir esse mercado de vinho e também falar de todas essas expressões ‘fancy’ desse mundão de vinhos maravilhoso.

Vamos todos beber muito!

🍷

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.