Sobre como o tempo passou

Autor Desconhecido

Conheci uma banda nova que me fez lembrar de você. Não, não lembrei de nós dois, não senti falta do seu abraço e nem das nossas tardes de domingo. Talvez eu tenha sentido falta do camarão da sua mãe ou das idas ao shopping com sua avó, mas, sinto desapontar, não senti falta de você.

Mas calma, me lembrei de você com carinho, apesar de tudo. O tempo foi bom comigo, você se surpreenderia se me (re)conhecesse hoje. Tudo que aconteceu trouxe muita dor e uma tristeza tão grande que eu não sabia que podia enfrentá-la, até que eu não tive mais alternativa. Precisei me construir novamente e não sobrou muita coisa daquela menina que você namorou por tanto tempo, tampouco sobrou muito de você em mim. Mesmo assim você foi, pela última vez, fundamental pra mim.

É incrível o que o tempo pode fazer por nós. Quem diria que viver ia dar nisso, quando eu penso em você não te vejo mais como o amor da minha vida que eu deixei escapar, muito menos como o filho da puta que arruinou tudo e destruiu meus sonhos. Te vejo como aprendizado, não sei se era o que você imaginava ser pra mim, mas é o que lhe cabe.

Ao seu lado eu descobri coisas incríveis, maravilhosas e senti um amor que eu nem achava que tinha. Mas ao seu lado eu entendi, também, o quanto as pessoas que a gente mais gosta e confia são capazes de nos machucar. E não foi só um machucado, foi fratura exposta. Porém, mesmo as mais terríveis feridas não são imunes ao tempo e, hoje, quando olho pra todas as cicatrizes que restaram dessa época, não consigo ver outra coisa além da minha força.

No fim das contas, eu tive que sonhar outros sonhos, pensar outras coisas, conhecer outras bandas, outros sexos, outros amores, outras bebidas, outras drogas. Tive que desbravar o mundo e entender que meu lugar não é ao seu lado, mas que bom que caminhamos de mãos dadas por tanto tempo, foi uma honra, aliás.

Tudo isso é pra dizer que você já deixou de ser o monstro que eu pintei pra mim, depois de tanto tempo eu entendi que a gente erra, e você errou feio, mas, apesar de ser difícil enxergar as coisas assim no início, quem seria eu se não fosse seu erro, se não fossem nossos acertos, se não fossem meus erros, se não fosse você?

Gosto de pensar que as coisas acontecem exatamente do jeito que precisam acontecer e, apesar de toda dor quase insuportável que me afligiu, foi ela que me fez quem sou, forte como sou, independente como sou, decidida como sou, a mulher que sou. E só me resta acreditar que o tempo tenha sido bom pra você também, que você tenha aprendido com tudo o que passou e se tornado um homem. No fim das contas, o amor é eterno mesmo, ele só muda de forma e, hoje, eu amo você nos detalhes que construí em mim.

Você nunca chegou tão perto.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bruna Passos’s story.