.

tinha lixo e tinha homem. ali onde minha mãe sempre disse que não podia ter gente, tinha. e ali revirava e comia verozmente. quem era? nem se sabia, afinal era lixo de gente e se a gente vira o que come, quem come lixo o que vira mesmo?

Like what you read? Give Eu, Jardim a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.