Doctor What?

A importância de Bill como a nova companheira do Doutor

Olá, navegantes do tempo e do espaço! Como vão?

Se vocês acompanham Doctor Who, já devem conhecer e ter se apaixonado pela nova companheira do Doutor: Bill Potts (Pearl Mackie). Se não se apaixonaram ainda, eis aqui seis das razões que me deixaram fascinado por ela.

  1. Bill não é óbvia. A pegunta que eu sempre quis fazer foi “Doctor What?”, não a “Doctor Who?”, que dá título ao programa. Com isso, você já percebe que a personagem vai tomar um rumo diferente das suas predecessoras.
  2. Ela faz as perguntas que todo mundo quer saber. Não é segredo que o show se tornou hermético com o passar do tempo. Os personagens na tela entendiam o que estava acontecendo, mas nem sempre isso era verdade para a audiência. Mesmo quando havia explicações, elas não supriam bem essa necessidade. Bill, no entanto, faz as perguntas que o público faria, ela se coloca em nosso lugar. Suas perguntas são as da mulher — e do homem — comum, que não tem PhD em astrofísica aeroespacial. Bill é nossos olhos no show.
  3. Não está louca por aventuras. É claro que é divertido sair por aí em uma máquina que desafia o tempo e o espaço, mas Bill tem sua vida e ela não coloca fugas com o Doutor na frente de todo o resto. Tanto isso é verdade, que ela tenta manter o Doutor afastado de sua vida pessoal. Ela não precisa que ele se intrometa em cada aspecto de sua existência. Bill quer ter momentos para si mesma, vivendo longe de correrias e viagens fantásticas.
  4. É negra e sabe que isso afeta a maneira como o mundo a vê. Viagens no tempo para pessoas negras são bem mais complicadas. O futuro não deve ser tão ruim. O passado é um pesadelo, dependendo da época e do lugar. A Londres vitoriana não era exatamente amorosa com pessoas de etnias não-brancas.
  5. É lésbica, está confortável com isso e todos à sua volta também. Para além da representatividade negra, Bill é gay e esse é apenas mais um aspecto de sua vida. Ela trata sua sexualidade de forma natural, como deveria ser para todos. Até o presente momento, ninguém agiu de forma preconceituosa com ela em relação a isso. E esperamos que continue assim.
  6. Ela não é definida por um título. Ao menos, até agora. É claro, Bill tem seu próprio mistério, que tem a ver com sua mãe, mas isso deve ser aprofundado mais à frente. Bill não é Lobo Mau, não é A Garota que Esperou, A Garota Impossível ou qualquer outra coisa que não… Bill. Ela não tem um destino manifesto pesando sobre suas costas e, por isso mesmo, é ainda mais fácil se conectar com ela.

A nova companheira do doutor é um sopro de ar fresco. A temporada está quase na metade e Bill já tem lugar certo no coração dos fãs da série. É cedo ainda para dizer que será a melhor companheira de todas, mas, sem dúvida, já é uma das melhores.