MBA #04 — Estrutura Organizacional — colocando ordem no caos

A ideia deste post é fazer uma reflexão do impacto que uma estrutura organizacional pode fazer em uma empresa. Pegamos um organograma clássico de uma empresa:

Perceba que apenas 16% da estrutura está voltada para as atividades de negócio, isto é, apenas uma área é responsável pela geração direta de receitas. Além do mais, a estrutura não possui mecanismos formais que garantam a sinergia entre elas. A gestão de toda a empresa fica centralizada na presidência com suporte da Governança

Explicação do porquê a forma tradicional foi criada

Diversas empresas começam a se afastar das tradicionais estruturas funcionais: apenas 38% delas são organizadas em relação às funções. Alguns fatos importantes:

  • A presença dos millennials, a diversidade dos times globais, e a necessidade para inovar e trabalhar mais próximo dos clientes estão exigindo uma nova flexibilidade organizacional, onde formam-se redes de equipes com pessoas movendo de um time para o outro, em detrimento das configurações formais que costumam ser mais estáticas
  • Mais de 80% das empresas estão em fase de re-estruturação organizacional (ou já a realizaram)
“O novo modo de organização deve contar com o empoderamento dos indivíduos, comunicação forte, e fluxo rápido de informação”
Aprendendo um pouco sobre design da organização

Pensando nas ideias de Jay Gibralth, criamos um novo modelo simplificado da estrutura de um banco.

Nós sabemos também, que as redes informais funcionam com líderes quase invisíveis, capazes de apoiar e incentivar. Então o que precisamos fazer é criar um fluxo contínuo de criatividade, dentro dos colaboradores da organização e produzir inovações numa base integrada e sustentável.

“A solução? Inverta o impulso. Em vez de visualizar a empresa adquirida como filho iletrado, veja-o como um professor inspirado. Empresas menores são geralmente adquiridas de conhecimento profundo do domínio, foco especial ou paixão extrema. Ao minar a empresa adquirida para uma melhor compreensão dos seus factores de sucesso, ambas as culturas ganham e o casamento mais rapidamente pode suceder.” — Marty Neumeier — The Designful Company

Leituras recomendadas

¤JAY GALBRAITH. “Star Model — Framework Design Organizacional”. Link aqui

¤JEAN GUARESCHI. “Tendências de Capital Humano para 2016 e 2017”. Sociedade Brasileira de Desenvolvimento Comportamental. Artigo publicado em 19/07/2016 neste endereço.