3 dicas pra sair da bad

Foda quando acontece

Você não foi aprovado no concurso; a nota da prova não foi o que você esperava; você não passou naquela entrevista de trabalho que você julgava ser a única no mundo em que você estaria realizado; levou um pé na bunda do mozão; tentou aquela dieta marota, mas na verdade comeu igual um filho da puta escondido de todo mundo no final do dia ou:

[insira aqui a merda que aconteceu na sua vida aqui pra ter te deixado naquela bad monstra]

Doeu? Doeu e ainda tá doendo. A tristeza às vezes visita você durante seu dia — ou no final dele antes de dormir quando a gente pensa 365 mil coisas — , você se sente uma ameba, um saco plástico cheio de lixo prestes a rasgar, né?

Acredite: acontece com todo mundo!

Não tenho a receita miraculosa nem a simpatia que vai fazer você curar essa ressaca moral quase permanente. Mas queria deixar aqui 3 dicas pra quando você não conseguir mais segurar a marimba / forninho:

1 — Deixa a bad BATER, mas não alimente ela

PQP

Chore, esperneie, escreva textão no face (contanto que não ofenda ozamiguinho), fique de boa um tempinho (mas não se isole dos seus amigos).

Deixa a bad entrar, toma um [insira sua bebida aqui] com ela e com alguns amigos, troque uma ideia e aos poucos vá se despedindo dela. Mas não alimente a bad. Diminuir o seu valor como ser humano, entregar os pontos e ficar dia após dia remoendo suas decepções, com pena de si mesmo são formas de deixar ela crescer e tomar conta de tudo na sua vida por muito tempo. Não o faça.

2 — Ore

Tenta de verdade

Pode ser um mantra ou ouvir uma daquelas musiquinhas do Youtube de horas de meditação, sabe? Mas busque o conforto entrando em contato com seu eu. Caso não tenha nenhuma oração específica, te indico o mantra budista

‘nam myoho renge kyo’. (se pronuncia nãm miorrô rengue quiô)

Dá um “up” geral na sua vida. Te garanto.

Mas pense e reflita com calma por um tempo.

Logo menos a bad vai embora, ok?

3 — Durma

As vezes o mal é apenas sono

Sério, durma. Não fique na internet tarde da noite achando que sua vida é uma merda comparada com a perfeição da existência das outras pessoas, ilustrada em imagens da galera no rolê, sorrindo e com o copo cheio. Lembre-se: muitos daqueles copos estão cheios de gelo e nada mais…

Descanse, amanhã é um outro dia.

Bônus:

Se ainda assim não funcionar, permita-se recomeçar

E quando a bad quiser voltar, diga:

Amém Bianca

#PAZ

Like what you read? Give Bruno Melo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.