Ela gira.

Por Bruno Abreu

Ela girou, girou e girou. Rodopiando agarrada na alegria – que nem ela vê. Abrindo os braços: girando, girando.

Ficou puta com alguma coisa jogando a cabeça no ar.

Ela não vai sentar.

Ela anda descalça pra sentir a vida.

Ela é linda.

Me apaixonei pela liberdade dela. Hoje há dois anos.