Stevie Wonder — Songs In The Key Of Life

Ontem foi aniversário do meu disco favorito de um dos melhores cantores e compositores que já existiram, Stevie Wonder. O disco Songs In The Key Of Life é o ápice de criatividade de um dos artistas mais queridos, famosos e respeitados da música. O multi-instrumentista lançou este, o primeiro álbum duplo da sua carreira, em 1976. E ainda de brinde, os fãs levavam um compacto duplo com 4 músicas, totalizando 21 canções.

Stevie lançava um disco de sucesso atrás do outro — Music of My Mind (1972), Talking Book (1972), Innervisions (1973) e Fulfillingness’ First Finale (1974) — comprovando que seus dons de compositor estavam evoluindo, até atingir seu pico de criatividade com Songs In The Key Of Life. Existem relatos de alguns dos músicos que trabalharam com ele neste álbum (mais de 130 pessoas creditadas) que Stevie chegava a ficar mais de 48 horas compondo, sem comer ou dormir. Resultado: foram mais de 200 músicas registradas.

“Você coloca uma meta na sua cabeça. E então diz: ok, é isso que estas canções precisam, é isso que este projeto precisa. E você não se contenta com qualquer coisa menor do que isso.”

O complexo e intrigante nome do disco, Canções no Tom da Vida, já mostra que ele terá todos os temas que rodeiam nossas vidas, como amor, discriminação, homenagens, dores, entre outros. E com sua genialidade, Stevie demonstra que, assim como seu álbum, o “tom da vida”, não é um simples Dó, Fá Sustenido ou Ré com sétima, e sim, uma gama de sentimentos, acontecimentos e memórias que dão coesão à vida.

A música de abertura, “Love’s In Need Of Love” é uma belíssima canção que traz a falta de compaixão e amor no mundo. “Sir Duke” é uma homenagem jazzística para o Grande Duke Ellington. Temos também o lado político e ativista contra o preconceito aos negros em “Black Man”, mostrando a importância da voz de Stevie na sociedade americana. Outra homenagem acontece em “Isn’t She Lovely”, canção escrita para Aisha, sua filha recém-nascida na época. Além disso, temos a música “Pastime Paradise” que foi sampleada pelo rapper Coolio em “Gangsta Paradise”.

O impacto do disco foi gigantesco e ele se tornou o terceiro álbum duplo da história a ficar em primeiro lugar na parada de sucessos. Até hoje é relembrado como o favorito de Elton John, Prince e Michael Jackson.

Ao nos mostrar um disco tão complexo, mas belo e interessante como a vida, Stevie resume as existências, nossas e do álbum, com este verso da canção “Sir Duke”:

A música é um mundo dentro de si com uma linguagem que todos nós entendemos.

E que, com certeza, mesmo depois de 40 anos, pode ser sentida em qualquer lugar.