o amor que cabe em sI

Eu te amo, não exatamente porque preciso de você
Tão pouco inteiramente que não consiga suportar
Não é sufoco nem suplício, não há entrega ou sacrifício
É só um estado de espírito, é sentido que se dá

Eu te amo, não um amor que me faça enlouquecer
Nem tanto assim que não se possa explicar
Não é um hábito, nem um vício, não é razão, nem é difícil
É uma frase assim, de início, eu só te amo por amar

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bruno Cardamone de Matos’s story.