Então, eu fiz 19 anos

E cheguei a algumas conclusões

Não foi nada parecido com isso

No dia 14 de maio de 2017, completei 19 anos. Como todo novo ciclo, parei para olhar para dentro de mim — coisa que eu já não fazia com calma há algum tempo — , refleti e cheguei a algumas conclusões. Essa reflexão tem um propósito: me tornar uma pessoa melhor a cada dia que passa. Contudo, para que eu melhore, preciso me entender. Tudo bem que 19 anos não é lá muita coisa, mas eu posso dizer que vivi diversas situações ao longo desse tempo, aprendendo bastante com elas.E essas foram algumas das minhas conclusões:

  1. Esse negócio de plantar e colher é real. Isso foi bem divertido de aprender, inclusive. Pelas mensagens de carinho que eu recebi, a maioria sendo sincera, percebi que isso nada mais é do que um reflexo do que eu fui com essas pessoas. Não, eu não faço esperando resultado. Eu simplesmente sou o melhor que posso ser. As coisas vêm naturalmente. E o melhor presente que eu recebi foi o carinho.
  2. Nem sempre as coisas saem do jeito que a gente quer, mas sempre tem um jeito de melhorar. Ainda na questão acima, como meu aniversário coincidiu com o dia das mães, vi que muita gente deu mais importância a isso (e com razão). Senti falta? Claro, fico muito satisfeito com palavras. Gosto de demonstrar o que eu sinto, o que as pessoas significam pra mim e, naturalmente, gosto quando elas fazem isso. E, por mais que nem todos apareçam, essas trocas de palavras são ótimas oportunidades de estreitar relações. E esse foi o jeito que eu dei para melhorar.
  3. É de suma importância valorizar as suas amizades. Para finalizar esse tópico que se alongou até aqui, digo que percebi um crescimento pessoal muito maior quando comecei a valorizar devidamente os meus amigos. E eles me ajudaram de uma forma que eu nem sei como retribuir. Mas vou me esforçar para dar um jeito.
  4. Sempre é tempo de reconhecer os seus erros. Também é importante que você saiba onde está errando, por que está errando e como pode parar de errar. É fato que errar é algo inerente ao ser humano, já que ninguém é perfeito. Mas saber reconhecer e mudar aquilo que está errado e que afeta não só você, mas as outras pessoas, faz parte da caminhada. E do sentido que eu dei pra minha vida: sempre buscar ser a melhor pessoa que eu conseguir. (Obrigado, Raphael Draccon.)
  5. Nunca pare de sonhar. O crédito dessa também vai pro Draccon. Ele me ensinou, alguns anos atrás, que sonhar dá forças pra seguir em frente. A partir do momento que você sonha e põe na sua cabeça que vai se esforçar até esse sonho virar realidade, praticamente nada é capaz de te segurar. Nessas horas, você é seu maior aliado, mas pode também ser seu pior inimigo. É tudo uma questão de perspectiva. O que nos leva ao próximo tópico.
  6. Seja realista, mas tenha uma perspectiva positiva. Fazendo um pequeno link com o tópico 2, dá pra melhorar as coisas. Claro, você tem que analisar cada situação em seus pontos positivos e negativos. Porém, manter uma perspectiva positiva estimula sua criatividade e te faz pensar fora da caixa. A maioria das soluções que eu dou para as minhas situações partem disso. Eu até costumava falar bastante: “A vida me dá problemas, eu devolvo soluções”. Tá tudo na sua cabeça, é só você saber usar.
  7. Tenha fé, não importa em quê. E esse é um dos mais importantes. Pode ser em um deus, em vários deuses, em uma força espiritual qualquer, em você mesmo. Não importa. O importante é você ter fé e acreditar sempre que você pode tirar alguma energia de algum lugar para te impulsionar para frente. Vai por mim, faz diferença.
  8. Descubra o que você gosta de fazer, e faça-o com amor. Esse parece ser bem clichê (só esse?), mas é outra verdade. Eu me encontrei na escrita, por exemplo. É, talvez, a única coisa que eu sou capaz de fazer por horas a fio e não me cansar. É algo que me traz paz e que me motiva a continuar cada vez mais. Encontre esse seu algo especial.
  9. Seja feliz. “Sério, Bruno? Ser feliz?” Sim. Não dê muita importância para os pitacos que outras pessoas dão em sua vida. Afinal, ela é sua, e você deve vivê-la da forma como achar melhor. Afinal, quantas você tem? Pois é. Permita-se fazer tudo aquilo que você gosta, como quiser e quando quiser — espero que respeitar o espaço alheio tenha ficado implícito; se não, cá está. Quando estiver triste, viva sua tristeza também. Sabe qual a vantagem? Fazer os momentos felizes valerem ainda mais a pena. Não dá pra ser feliz o tempo todo, mas dá pra ter vários momentos de felicidade.

E o que eu aprendi além de tudo isso? Que eu sempre posso aprender mais. Que eu sempre posso ser melhor do que fui ontem. Que eu sempre vou me esforçar para ser o melhor que posso em tudo o que eu faço por amor.

E que você também pode.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bruno Garofalo’s story.