No fundo, as pessoas não ligam

De tempos em tempos surge uma notícia que uma empresa XYZ usa mão de obra escrava em sua produção. Empresas de todos os tamanhos. Seja no Brasil ou fora.

Excluído os casos em que a pessoa não tem o direito de ir e vir e nem pode se demitir, esses casos são indiscutíveis, todos os outros dependem do referencial. Um americano médio pode olhar para como trabalhamos no Brasil e falar que é escravidão. Nós que moramos no Brasil achamos que empregados na Turquia são escravos e por aí vai.

Mas não é sobre a definição se um trabalho é escravo ou não que eu quero falar.

O que quero falar é que, no final das contas, as pessoas não ligam para isso.

Voltando para a notícia que empresa XYZ usa mão de obra escrava. Sempre que isso acontece, milhões de textões aparecem na timeline de todo mundo. Comentários do tipo “Que nojo dessa marca! Nunca mais irei usar nada deles”, “Como pode uma marca desse tamanho fazer isso?” etc.

Textos “incríveis”. Mas e as atitudes? Aí que importa de verdade e o bicho pega.
Essas pessoas julgam para caramba os outros, mas não olham para o próprio umbigo. Podem não comprar daquela marca específica da notícia e do textão, mas usam várias que já foram acusadas da mesma coisa.

É a galera que vive do discurso bonito, mas de atitudes nojentas.

As outras pessoas são mais honestas pelo menos. Não escondem que não ligam. Preferem não olhar para o problema ou pensam “isso não é problema meu”. É ruim isso? Sim, mas há honestidade. Não se escondem atrás de um discurso.

Meu problema com as pessoas é com essas que não fazem porra nenhuma diferente do resto de nós, mas vivem cagando regra por aí.

Não me venha falar que sou uma pessoa horrível que usa uma marca X que foi acusada de trabalho escravo, mas você usa a marca Y que também é acusada.

No fundo, as pessoas não ligam para essas coisas e nem querem pagar o preço para que o mundo todo viva como um americano/europeu médio. Você não quer pagar R$35 em um big mac, R$ 100 em uma camiseta, R$ 900 em um tênis simples para que alguém no Vietnam tenha uma vida igual a sua.

Se você não quer pagar esses preços, não me encha o saco com textão.

Faça diferente e depois venha falar alguma coisa.

Por enquanto, você é apenas uma mala hipócrita.


♫Post feito ao som de: Rufio — MCMLXXXV