Bel Pesce e o empreendedorismo de palco: porque a Menina do Vale não vale tanto assim
Izzy Nobre
3.8K370

E é assim que o mundo gira: você faz um serviço primoroso de investigação e expõe algo que possui todos os elementos de uma fraude (pra não dizer estelionato) e as pessoas com mente de gado, como sempre, dizem que você é “invejoso” e pedem que você “apresente os seus resultados”, o que é um pouco engraçado, uma vez que todo mundo engoliu o super currículo da moça ali sem pedir que ela apresentasse qualquer resultado.

Acho muito estranho que uma pessoa que é formada em ciência da computação no MIT não tenha uma linha de código publicada, não tenha um artigo sobre programação publicado, não tenha absolutamente um aplicativo que seja minimamente complexo publicado e não tenha feito parte de qualquer desenvolvimento nos lugares em que “trabalhou”.

Sinceramente, lendo o seu dossiê e vendo entrevistas dela nos mais diversos lugares, fica claríssimo que se trata de uma grande mentira — que nem se alegue que é bem contada, porque não é — o currículo especial da “menina do vale”. Ela pode até entender de programação ou qualquer coisa que o valha, mas o grande lance dela foi construir uma imagem de empreendedora teen e vender palestras e livros pra milhões de jovens desesperados que ACHAM QUE EXISTE UMA FÓRMULA MÁGICA PRA EMPREENDER.

Enfiem algo na cabeça de vocês: empreendimento não é ciência exata, não existe a fórmula do empreendimento, não existe palestra de empreendedor que vai te dar o passo-a-passo do sucesso, empreendedorismo é tentativa e erro, é risco controlado, é frustração e, mais do que tudo isso, é feeling, é dom, tem gente que é criativa, que tem algo quase metafísico e que tem o dom sobrenatural de empreender e dar certo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.