Pax.

Em memória de Armando Patrocínio dos Santos.

Quando você vai a praia o objetivo é se divertir né? Ter um momento de lazer. Fugir da rotina. Gozar a vida. Quando você me vê de óculos escuro e boné grande ‘gruvando’ ao som de La Furia com os amigos o que você pensa? É diversão corriqueira, será? Ou é brecha de felicidade em reta de tristeza?

E se eu disser que hoje eu fui à praia e senti paz, você acreditaria em mim? Eu respirei paz desde quando eu cheguei e encontrei o abraço que eu mais precisava. Eu ouvi paz no barulho do mar. Eu vi paz em cada mergulho em um mar tranquilo sem onda. Foi só catarse, foi só paz.

A deusa Pax em sua representação de gente se fundiu a minha amiga e deu na minha cara. Como sempre prometeu e nunca tinha comprimido. Mas, hoje o fez. Chegou na minha cara e disse mesmo sem falar nada que me amar no bar é fácil, me amar com a namorada do lado é fácil, me amar dentro de casa é fácil, me ama quando eu finjo ser engraçado é fácil. Porém, me amar sabendo que sou problemático é difícil, me amar sabendo que a conversa não é interessante é difícil, me amar fora dos aplicativos é difícil, me amar no meu silêncio, silêncio é difícil. Mas, ainda sim, ela me ama.

Ela não disse, mas demonstrou. Ela demonstra. E eu a amo. Você percebe o significado real da amizade quando uma mariposa pousa na sua camisa e isso é tão normal, é tão comum. Não é algo que você tenha vontade de contar pro mundo. Mas, você conta pra ela. O sentimento terno da amizade é esse ele transforma neblina em furacão de um jeito tão próprio que só ele sabe fazer e mais ninguém sabe.

A paz incentiva você a dizer aleatoriamente coisas boas pra quem você sentiu vontade de dizer. Você começa repartir amor que estava concentrado. Chegue pra aquela sua amiga e fale pra ela não mudar o jeito de ser dela, porque você sabe que algumas pessoas são contra, mas você, o namorado dela, os familiares dela amam ela do jeito que ela é. Chegue pro seu amigo de dois anos e diga que você que estar mais próximo dele e que quer viver mais momentos com ele, tirar uma foto com ele,mesmo que ele more a quilômetros de distância. Chegue pro cara que você conheceu no começo do ano e diga que apesar de tudo que ele comentou no passado você sente que ele mudou mesmo sem saber quem ele era antes. Passe a madrugada conversando com a amiga que tá com insônia, aquela menina pra qual você liga e passa horas no telefone. Diga a ela que você a ama e ama também o pai, a mãe e o irmão. Pior: chegue pro cara que você considera amigo, mas que não te da moral nenhuma, NENHUMA e fale que tá com saudade. Fale que você se lembra dele em alguns momentos. Primeiro ele vai te pedir desculpa por não ter respondido logo, mas em seguida ele vai dizer que achou que você ia falar algo importante. E mesmo nesse desperdício de afeto, a paz te da força não sei de onde pra você distribuir ainda mais o seu afeto pra quem o quer.

Hoje,quando eu estava voltando pra casa,eu vi a deusa Pax passar. Do nada eu chorei e eu sorrir. Eu chorei e eu sorrir ao mesmo tempo. Nunca antes isso havia acontecido. Acho que agora se inicia a era em que a tristeza é brecha e a felicidade é a reta.

Like what you read? Give Bruno Patrocinio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.