a vida é sobre começos, finais e aprendizado.

Pelas páginas do Facebook eu vejo muita coisa boa, uma dessas coisas foi uma imagem que dizia “A vida é sobre começos, finais e aceitação” e eu acredito muito nisso — mesmo que durante muito tempo eu tenha ignorado. Porém com o passar do tempo eu adicionei a esse dizer a palavra “aprendizado”, pois acho que combina mais comigo.

A primeira vez que eu tive que lidar duramente com a partida de pessoas da minha vida foi quando o terceiro ano estava terminando e toda aquela atmosfera de colégio-amigos-vida iria acabar. E eu tinha que aprender a lidar com aquilo em algum momento, mas eu apenas tentei ignorar o fato de que não ia ver meus amigos por um bom tempo. Alguns iam mudar de cidade, outros entraram na faculdade primeiro que eu, tudo ficou complicado inicialmente.

Com o passar do tempo eu fui me acostumando à ideia de que as pessoas vêm e vão — e tá tudo MUITO bem com isso. Esses amigos do colégio ainda fazem parte da minha vida, mesmo que a gente não se fale com frequência o amor e carinho são os mesmos (e eu com certeza iria adorar tomar uma breja com eles qualquer dia desses). Eu lembro que em um dos nossos últimos encontros eu chorei muito — ainda não estava claro pra mim que a vida tem disso e tudo ia ficar bem em algum tempo. E depois de chorar tanto, a gente tirou umas fotos juntos e eu postei uma com a legenda “the cycle of life is complete” (da música FROOT, da Marina And The Diamonds) porque de repente fez sentido aquele ciclo terminar para outro começar.

Então está tudo bem chorar de saudade por uma relação que terminou, ou que desgastou com o tempo, ou que mesmo não necessariamente tenha terminado, mas que de alguma forma não faz parte tão ativamente da sua vida. Tá tudo bem ficar triste.

No entanto não podemos deixar que a tristeza e a nostalgia tomem conta de nós. É a vida apenas tentando nos ensinar que pessoas e coisas vêm e vão, relações começam e terminam, e que tá tudo bem com isso.

Coloca um sorriso no rosto porque tu é bonito demais para ficar com cara fechada, agradece por viver momentos incríveis com quem passou e esteja aberto a vivenciar novos momentos com novas pessoas incríveis que vão passar por tua vida. E tenta aprender que nem todo mundo vai ficar, alguns vão passar uns dias e vai ser muito massa, outros vão passar anos e vai ser massa também. E por mais clichê que seja, acabei me lembrando do Soneto da Fidelidade, do Vinícius de Moraes, “que seja infinito enquanto dure”.

Like what you read? Give Bruno Almeida a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.