The Rolling Stones — Tumbling Dice

Mick Jagger & Keith Richards, 1972

“Tumbling Dice” é um dos mais emblemáticos casos de uma situação relativamente comum no rock: uma canção que se torna mais importante pela sua presença no repertório da banda que a criou do que para o seu significado. E, apesar desse single de 1972 não ser o único exemplo desse padrão roqueiro para os Rolling Stones, é uma música única no catálogo do grupo britânico. Um boogie woogie blues que parte de um riff de Keith Richard para o qual Mick Jagger fez uma letra sobre um jogador de azar que, por causa da natureza de sua jogatina, tem dificuldade de confiar nas mulheres com as quais se relaciona, mas está sempre pedindo uma nova chance — daí vem a brincadeira com o título e o refrão da música, com dados sendo lançados repetidas vezes.

A canção foi uma das primeiras na qual os Rolling Stones trabalhou, em outubro de 1970, quando começaram as sessões do disco Exile on Main St., ainda no Olympic Studios, em Londres. Nessa primeira demo a base era o piano de Ian Stewart, que vinha colaborando com os Stones desde pelo menos 1964. Batizada de “Good Time Women”, essa versão tinha guitarras de Mick Taylor mas, ainda sem riff, ficou guardada até a banda alugar a mansão Villa Nellcôte, na Costa Azul francesa, entre abril de 1971 e março de 1972. Na mansão a banda dormia o dia inteiro e gravava de noite, com quem estivesse no estúdio no momento e, em 3 de agosto de 1971, Richards gravou o riff acompanhado de Nicky Hopkins, um prolífico pianista que também trabalhava com os Kinks e, como Bill Wyman não estava presente, o baixo ficou a cargo de Mick Taylor.

Com um groove marcante e backing vocal feito por Venetta Fields e Clydie King, duas grandes vozes escondidas na música popular americana, “Tumbling Dice” cresceu durante as sessões e ganhou em complexidade. Em seu longo coda, por exemplo, Charlie Watts não conseguiu acertar o ritmo e o produtor Jimmy Miller acabou gravando parte da bateria. Alguns hóspedes da mansão dizem que mais de 150 takes foram feitos até se chegar na versão do álbum que, Mick Jagger suspeita, nem é a versão certa. Tanto que, ao vivo, ele e Richards vivem discutindo sobre o tempo da canção, com o vocalista tentando forçar uma versão mais rápida. Fato é que, apesar das dificuldades e diferenças, “Tumbling Dice” é uma obra prima dos Rolling Stones e a banda sabe disso: nos milhares de shows que realizaram depois de lançarem Exile On Main St., a canção foi mais tocada do que “(I Can’t Get No) Satisfaction” e só ficou de fora de sete shows.