CORRER NÃO TEM NADA A VER COM SAÚDE

Eu não parei de fumar para ser saudável, mas porque eu precisava dos meus pulmões para continuar correndo.

Eu não corro para ser saudável, eu corro porque eu gosto de correr. Se eu quisesse ser saudável, eu não correria.

Correr tem comprometido minhas articulações, minha vida social e, no meu último cardiograma, tomei conhecimento de que o meu coração está no “tamanho limite”. Soube, também, que era absolutamente normal para quem faz corrida de longa distância e que eu não deveria me preocupar. Eu nunca soube de um enxadrista sofrendo infarto numa partida, mas já vi corredores amadores como eu tomando xeque-mate.

A ideia de ser saudável não parece atrativo, mas acho pior ideia ainda morrer um dia.

Se correr me desse câncer eu provavelmente correria menos, mas continuaria correndo na mesma medida em que eu como toda a comida processada que um dia pode me devolver um câncer.

Viciada curtindo a onda

Cientistas encontraram um peptídeo de grande poder analgésico nas aranhas armadeiras. Tentam agora extrair das aranhas para amenizar as dores no tratamento do câncer, já que o efeito é próximo ao da morfina ou da endorfina, que também é um peptídeo.

Da mesma forma que cientistas estão extraindo peptítdeos das aranhas armadeiras, seria muito possível que formas de vida extraterrestres e ultrainteligentes achassem uma boa ideia fazer o mesmo com essas criaturinhas insignificantes que são os humanos extraindo deles endorfina, para, quem sabe, administrar essa nova droga para fins medicinais ou recreativos.

a aranha armadeira

A endorfina é um peptídeo de grande poder analgésico naturalmente presente no cérebro. Só não é probida ainda porque o laboratório fica escondido na cabeça. Se a endorfina fosse injetável, desconfio que ela seria ainda mais popular porque para levar uma agulhada é mais rápido e indolor do que cultivar microfraturas correndo e se esbaforindo em roupas de nylon.

A palavra "endorfina" foi injustamente estragada pelas celebridades fitness. Geralmente está associada a imagem de alguém fazendo uma pose exótica em cima de uma duna. Mas, olhando bem de perto, uma pessoa só se põe numa situação dessas se estiver chapada. A palavra endorfina, para mim, tem o mesmo peso da palavra morfina.

a estrutura do peptídeo

Situação engraçada: num mundo onde a endorfina é proibida, um policial linha dura corre atrás de um corredor em uma praia, mas ao primeiro sinal de suor, ele é obrigado a parar porque estaria ele mesmo cometendo uma infração. Ele joga o quepe no chão e inconformado resmunga um palavrão dublado.

Tem um tipo de corredor que não participa de provas e nem liga muito para marcas. É o pior tipo, porque ele não passa de um dependente químico que todos os dias se põe na situação ridícula de correr. Ele não está nem aí para a saúde. Ele só está fazendo isso para ficar doidão.