Os verdadeiros campeões não ganham medalhas. Não ganham troféu e muitas vezes nenhum tipo de reconhecimento. As pessoas realmente incríveis não aparecem na televisão. Elas sequer aparecem em algum lugar. Vão vivendo a vida, escondidas, discretas, e se apagam com o tempo. Pra que serve, afinal de contas, reconhecimento?

Eu venci minha própria batalha. Sou campeã da minha própria vida, da minha própria luta. Faço hoje minhas medalhas e as coloco todas em meu pescoço, encho minhas paredes de diplomas. Certifico que Amanda Amorim colou sozinha seu próprio coração. Procurou os pedaços, inventou os que não pôde encontrar, secou as próprias lágrimas, não perdeu a cabeça, nao perdeu a fé, não perdeu o amor, e não se perdeu de si.

…e no final, assim calado, eu sei que vou ser coroado rei de mim”