Paraty, o Anjinho e Tiradentes

©2015 www.caballe.com.br

Em setembro do ano passado, eu visitei o Paraty em Foco — Festival de Fotografia de Paraty. Vi exposições e assisti a palestras, mas entre umas e outras eu gosto de caminhar pelas ruazinhas da cidade. Sim, é desconfortável andar por ali, as pedras do calçamento são irregulares e tudo mais, mas Paraty é uma cidade linda, cheia de cores e contrastes, um paraíso para fotógrafos.

Numa dessas andanças eu me deparei com uma janela gradeada e a estátua de um anjo exposta. Olhei e pensei: “Poxa, prenderam o anjinho! O que será que o coitado fez?” Pode ter sido um sentimento um tanto infantil, mas confesso, não sem alguma vergonha, que senti pena do coitado do anjinho. Mas não deixei de fotografa-lo e registrar a sua tristeza.

Pois bem, em março próximo acontece o Foto em Pauta — Festival de Fotografia de Tiradentes, Minas Gerais. Devido a compromissos de trabalho, infelizmente não poderei comparecer. Mas o anjinho estará lá me representando! Esta fotografia foi selecionada para participar da exposição da Associação de Fotógrafos Fototech, da qual participo, que acontecerá durante o Festival com o tema “Inusitado”.

Será que o anjinho notou o sentimento infantil que senti no momento da foto e encontrou uma forma de reconhece-lo, “me representando” no festival? Bem, nunca saberei. E vejam só o sentimento infantil aparecendo novamente! Alguém tem dúvidas de que fotografia é emoção? Eu não tenho, e acho que o anjinho também não!

Obrigado pela leitura!