Eu só queria sonhar…

O que aconteceu foi que, o instante, que parecia me pertencer, me fez existir em um lugar que jamais havia me dado conta de um dia poder estar. Foi só o instante. E apesar disso, revolve minhas lembranças com a angústia e esperança do engano. Volta e meia me pego voltando no tempo, num clique, para tentar entender o propósito , que embora pareça ser insignificante, causou-me um tremendo alvoroço. 
Falo do além de mim. Daquilo que jamais ousei prolongar meu olhar, só para não ver, o horizonte. Falo de um sonho tão lindamente sonhado que era para assim ser. Somente. Sou como uma bailarina de caixinha de música que dança sempre com o mesmo primor a mesma música, mas que um dia a música muda e ela perde o compasso. Alguns sonhos não podem ser despertados.
Eu em mim