A DROGA no Senado

“O buraco é bem mais embaixo”

O dia 29.08.2016 ficou não só marcado pelo depoimento de defesa da Presidenta perante ao Senado, mas também pela imagem captada na televisão de uma mão segurando e balançando um pequeno saquinho plástico com uma substância branca dentro, supostamente sendo Cocaína. Independente de ser uma imagem real ou não…

QUE SEJA.

A real surpresa e/ou indignação das pessoas sobre a questão assusta, entendo que a imagem escancarada na televisão de um dos representantes do povo no Senado é chocante, mas trata-se apenas da confirmação do óbvio.

O consumo ou a presença da droga está no Senado, no meio artístico, nos lares, nos bares, nas ruas, na escola… está na hipocrisia de quem diz “usar socialmente” e não se considera um usuário de fato, está na própria sociedade que considera algumas drogas legais e outras ilícitas, ambas as situações um resultado de uma indústria de interesses.

No caso das drogas consideradas pesadas, como o crack, a heroína e no caso a cocaína: SIM, elas acabam com o ser humano em curto período de tempo, não classificando gênero, cor ou classe social.

Vivenciei muito de perto o problema, não como usuário, mas como irmão. O uso da droga determina-se por motivos muito mais profundos do que simplesmente a diversão, e sim por recompensa de algo que no final das contas tem muita pergunta sem resposta dentro de você.

O problema é sério e a *Adicção uma doença. A ajuda da família é fundamental, mas um adicto só se livrará do vício por vontade própria. Muitas vezes você será enganado tentando ajudar, se questionará se vale a pena o esforço da ajuda, tem vontade de jogar tudo para o alto e seguir a sua vida. Não desista, “milagres” acontecem. Não no tempo que gostaríamos, mas acontecem.

Um adicto nunca será um ex-adicto, ele apenas encontrará o caminho de “não precisar” mais daquilo, de que sua vida caminha sem aquela “necessidade”, mas a luta será eterna.

Quando nos referimos a um adicto, falamos de vícios como: drogas, sexo, jogo, internet, videogame, trabalho…e por aí vai.

Como evitar? Não existe fórmula, e sim a SINCERIDADE na conversa entre as pessoas, familiares e amigos, no que diz respeito ao pedido de ajuda e ao de querer ser ajudado. Quando estamos de coração aberto, o mundo caminha a nosso favor.

Nunca saberemos de que forma terminará essa história, mas a única certeza é que você estendeu a sua mão para ajudar ou para ser ajudado.

Ah, e sobre o político com a suposta e popular “peteca de farinha” na mão? O problema lá é bem maior do que esse.

Autor: ⚡ Cadu Rocha

✉ caduxrocha@gmail.com

*Adicção é o vício, e geralmente está relacionado com drogas ilícitas. Mas a adicção pode também significar qualquer dependência psicológica ou compulsão por tipo de jogo (bingo, pôquer, etc), comida, sexo, pornografia, computadores, internet, vídeo games, notícias, exercício, trabalho, TV, compras e etc.