A Jornada do Desenvolvedor: O nascimento das CSS

No último artigo vimos um pouco da história e da importância da HTML no mundo Web. Agora é a vez das melhores amigas da HMTL, as CSS.

CSS (Cascading Style Sheets ou Folhas de Estilo em Cascata) são as responsáveis pela estilização de uma página na web. Sem enrolação, vamos ver o que isso significa na prática.

No Firefox, abra a página de Login do Facebook, ou qualquer outra página, aperte f10 e em Exibir -> Estilo de página marque Sem estilo.

Você vai ver algo tipo isso:

Assim que seriam as páginas web sem o auxílio das CSS! Ou seja, não basta criarmos uma marcação impecável do ponto de vista semântico e deixar os robôs de leitura felizes, precisamos criar apelo visual que agrade também aos seres humanos.

Logo no começo da criação da HTML já era discutido como a parte de estilização dessa informação seria feita mas inicialmente se pensava que os navegadores deveriam lidar com a forma como o conteúdo seria apresentado pro usuário final!

Em 1993, o NCSA Mosaic, o navegador que popularizou a Web foi lançado mas em matéria de estilização ele deu um passo atrás já que só possibilitava que os usuário mudassem certas cores e fontes das páginas.

Por sorte, vários movimentos começaram a surgir para que algo mais prático e objetivo tivesse controle sobre estilos e fosse desacoplado da camada de marcação (HTML) e dos navegadores, dando controle pros autores de conteúdo e desenvolvedores.

Depois de árduas batalhas e pontos de vista políticos sobre quem deveria possuir o controle sobre o estilo da página, autor ou usuário, a primeira versão de CSS foi lançada em 1996 depois do Netscape confirmar que também usuária as CSS em seu navegador.

Em fevereiro de 1997 a CSS ganhou seu próprio grupo de trabalho dentro da W3C e em 1998 saiu a CSS de nível 2.

CSS3

O último nível lançado e o que você vai mais ouvir falar. Ao invés da CSS2 que é uma especificação única que define várias funcionalidades, a CSS3 é divida em vários módulos cada um com suas especificações, existe um módulo pra Cores e um pra Seletores, por exemplo.

Cada um deles também tem seu nível de usabilidade nos navegadores, algo importante de verificar pra evitar que um estilo quebre em algum navegador que ainda não o comporta.

A CSS3 também conta com opções de transições e efeitos para criação de animações diversas, o que antes só era possível com o uso de JavaScript ou algo do gênero.

Com isso dá pra criar muita coisa legal, desde relógios até a cabeça do Homer, tudo só com HTML e CSS3!

Pra não ficar um post muito extenso vou mostrar como criar e utilizar um arquivo simples de estilo em um próximo post. Também vou fazer um resumão sobre as propriedades mais utilizadas no dia a dia.

Conclusão

Entender a relação entre HTML e CSS nos dá um maior entendimento de como e porquê as duas devem funcionar em conjunto. Apesar de possuir uma gama enorme de possibilidades de estilização apenas uma parte disso vai ser usada no mundo web, então sem pânico. Bons estudos!

Depois de escutarmos muitas reclamações de amigos e inclusive de familiares, resolvemos criar um guia para iniciantes na área baseado nas expectativas do mercado de trabalho, assim surgiu o EstágioComXP.

Ele é um curso em vídeos focado na área web, baseado em 3 grandes pilares:

Fundamentos: ensinaremos a base das linguagens e ferramentas mais usadas no mercado (nada de C++ aqui).

Prática: vamos desenvolver juntos alguns projetos utilizando o que foi aprendido nos fundamentos.

Marketing Pessoal: aprenda a usar o GitHub e o LinkedIn para mostrar seu trabalho para o mundo e dicas de como se preparar para as entrevistas.

Para receber mais informações sobre o curso e conteúdos sobre a área de desenvolvimento, inscreva-se no EstágioComXP!

Obrigado pela leitura! Se puderem, recomendem o artigo clicando no ❤. Assim ele pode chegar para mais pessoas :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.