Iron Maidens: Notas de Elizabeth

Isso é meramente um sketch.

Agora que eu me lembro, fica um pouco vez mais claro como Hannah Eldritch veio a tornar-se o que se tornou agora, dizem que os primeiros anos de nossas vidas são vitais para o nosso futuro, certo? Sabe, aquele primeiro e vital choque na mente de uma criança, que marca de fato o início de sua história, o primeiro parágrafo de sua mente? As imagens e as palavras que conduzirão os seus próximos anos?

As primeiras imagens de Hannah foram as cervejarias e as entusiasmadas conversas dos fascistas de camisas beges, as primeiras palavras foram as do próprio Adolf Hitler, que subia no palanque e roubava a atenção das massas, e consequentemente roubou a admiração e o fanatismo da pequena fazendeira da baixa baviera, que mal conseguia ver o austríaco ali na multidão de militantes.

As primeiras palavras de Hannah foram as de Adolf Hitler.

A fazendeira cresceu e agora era oficial da Whermatch, umas das armas mais letais e poderosas do führer, tanto em sua estratégia que era implacável quanto em sua bela face e feitos, distribuída em propaganda por todos os lugares do mundo aonde o terceiro reich alcançava.

Afinal o que nos é mais querido que as doces lembranças inocentes de nossa infância? Quando ela ainda era do tamanho de botinas, observava com muita timidez o exótico e complexo mundo dos adultos, as faces sorridentes e borradas contra o lustre que se curvavam com modéstia para conversar com sua pequena existência, os homens de uniformes fantástico que conversavam tão entusiasmados e bebiam coisas que lhe eram proibidas, o austríaco de moustache no palanque que ditava palavras difíceis e conceitos estranhos com tamanha força, a admiração dos amigos mais tarde na cabana quando ela contava tudo sobre os comícios, o sorriso enorme de seus familiares satisfeitos ao vê-la seguindo seus passos, as grandes histórias de um pai que ela nunca mais veria e a irmã aventureira que um dia voltaria de sua “grande jornada”.

Eu eventualmente percebi que eu não podia mais parar Hannah, que para ela intimamente não se tratava mais de defender um governo ou sua pátria, se tratava de defender sua essência, se tratava de defender sua própria vida e suas lembranças, seu próprio ser! Uma motivação mais forte do que qualquer instinto ou razão que ela encontrou ou chegaria a encontrar nos tempos de guerra, que contra qualquer adversidade cegamente a faria levantar o rifle contra qualquer oposição e a faria atirar com uma precisão cirúrgica e quase sobrenatural de um soldado fiel, ela era conhecida por nunca ter errado em toda sua carreira, tal capacidade retirada do mais enraizado fanatismo seria a fonte de sua fama.

“ Você tem razão Elizabeth, porém há algo que você está se esquecendo. ”

O que poderia eu ter esquecido? Justamente eu, Elizabeth Eldritch, sangue do sangue, a última familiar dessa nazista mercenária?

“ É algo que você não notaria nem se fizesse o mais forte dos esforços, ou simplesmente ignora por conforto. “

Catherine me conta então, era a culpa.

O campo de batalha não era o mundo das mulheres, o serviço militar e o dever do sacrifício na guerra era uma ideia masculina e espalhada entre os homens, era o mundo dos humens! O que quatro mulheres sequer faziam lá naquele campo de batalha dirigindo aquele Panzer IV? Aquilo que não era nossa luta e não era nosso dever, agora havia se tornado nosso fardo.

E era evidente que Hannah havia trago a todos nós para isso, desde eu, sua irmã, até a bruta russa Catherina, ou sua melhor amiga, a esbelta francesa De’Lacour, todos nós de uma maneira ou de outra estávamos lá por causa de Hannah, e ela sabia disso, e por conta disso cresceu uma grande responsabilidade que nunca permitiria nenhuma de nós morrer.

“Porém não era somente a culpa. ”

No fim, ao invés de Hannah levantar o rifle e sempre atingir o alvo por conta de seu fervoroso fanatismo, acima de tudo ela levantava por causa do amor, por conta de um intenso sentimento de nos querer ver saudáveis e seguras, éramos as únicas pessoas que importavam realmente em sua vida, acima até do próprio führer (por mais que as vezes não parecesse), éramos os últimos pilares de sua existência que importavam, estávamos em seus momentos mais íntimos e mais sombrios, nossas mortes significavam deliberadamente a morte dela, no fim, toda a vida de Hannah se comprimia nos três corações que batiam acelerados no confinado espaço daquele pequeno Panzer IV.