Sobre Cowspiracy

O documentário que fez a carnívora que mora em mim entrar em greve de fome.

Assisti Cowspiracy tem mais ou menos um mês e vivo desde então um dilema pessoal diário. Primeiro porque sempre comi carne e sempre adorei. E segundo porque na minha família comida é coisa séria, por mais que você coma muito em um almoço de família, minha avó, mãe e tias sempre acham que você comeu muito pouco, e é comum você escutar que está magra demais, chegam a te perguntar, “Mas você está doente? O que está acontecendo com você?” e não importa o seu peso, sua massa corporal, seu índice de gordura, e tals… Então, caso eu decida mesmo me tornar vegetariana — notem que ainda não me atrevo a dizer vegana — seria além de um grande esforço pessoal, uma afronta, um fuzuê, um pega pra capar na minha família.

“Onde já se viu ser saudável sem comer um bifinho?” diria a minha avó. Mas é o que está acontecendo, faz mais um menos 1 mês que não como carne vermelha. Obviamente ainda não tive um almoço de família, mas já tracei alguns planos para continuar evitando pelo menos a carne vermelha sem que a minha avó e tias saibam. Quem sabe mais para frente evite também comer frango, peixe, ovos e leite, talvez eu precise rever o documentário mais uma vez, mas seria um sonho conseguir tal façanha.

O que eu gostei de fato no documentário que me fez parar para pensar sobre a minha alimentação?

Sabe aquele discurso dos “bichinhos são tão fofos, e nós amamos os bichinhos, não podemos matar e comer bichinhos”? Então, isso é a parte que menos te influencia no documentário inteiro, eles passam pelo assunto, mas o doc não é sobre isso. É claro que amamos bichinhos, eu particularmente amo muito, e não come-los me faria mais feliz, mas quando você tem ideia de como aquele hambúrguer chegou até você, e da quantidade de água e do tamanho do desmatamento envolvido, e como a indústria alimentícia funciona e é grande responsável pelo desmatamento das nossas florestas, e pela produção de gazes do efeito estufa, e consequentemente do aquecimento global, a sua cabeça explode.

Buuuummmmmmm!

E aí você se pergunta: Por que eu nunca soube disso? Por que o Greenpeace nunca me contou? E o Amazon Watch? E tantas outras organizações que defendem animais e o meio ambiente? Você finalmente entende tudo isso vendo o documentário, e a sua cabeça que estava explodida no chão da sala ou do quarto, explode mais uma vez em mil pedacinhos.

Buuuuuuummmmmm!

Eu nunca em toda a minha vida tive vontade de parar de comer carne, aliás, se você me contasse que é vegetariano eu provavelmente nem daria bola para o assunto. Hoje em dia se você me conta que é vegetariano eu provavelmente vou pegar na sua mão, olhar nos seus olhos e dizer: Me ajuda, cara! Me leva com você nessa, por favor!

Não vou ficar aqui dando spoiler do documentário até porque gostaria muito que todos assistissem, mas se você já viu, por favor, fala comigo! O que você achou? O que você pensa? Como a gente vive depois de saber tudo isso? Você também está tão assustado quanto eu estou?

Você encontra esse doc no Netflix.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.