Eu sei

É, eu sei o que aconteceu, talvez não devia saber, mas sei
E também sei que você é livre, e deve fazer o que quer
Mas não consigo não me sentir mal, triste, desolado
Jogado as traças de uma noite solitária a companhia de minha cerveja e do meu futebol

Era esse o momento que eu tanto temia
Estar longe me deixou sempre inseguro
Meio que no escuro, sem saber o que vai acontecer

Eu já sabia quando comecei nessa empreitada
Que a missão era quase impossível
Te conquistar de longe, com o que podia e o que não podia
Era difícil, complicado, era maluco

Mas eu gosto das coisas malucas
Daquelas em que ninguém acredita
Daquelas em que você é visto como o louco da turma

E você foi só mais uma dessas coisas na minha vida
Um sopro de paixão no coração
Que talvez eu tenha que deixar passar
Pra que a vida não sangre mais do que tenha que sangrar

Mas não, não vou me precipitar, ainda tenho meu último suspiro
A cartada final, que pode esperar
E se nessa cartada eu fracassar
Te deixarei livre para voar

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.