O mundo como é

Deixei tudo muito fácil para você
Eu sei
Isso não atrai tanto quanto o descaso
Quanto se adequar o modelo injusto de busca de afeto

Um afeto líquido, passageiro e fulgás
A pressa de subverter-se aos desejos
Transforma tudo em processo lógico
Simetria com simetria, isso é o que funciona

Se esquece a vontade de fazer bem
Os papos sobre o mundo e seus mistérios
O vinho numa noite fria
Os sorrisos escondidos no retrovisor

Não existe mais o frio na barriga ao encontrar
O jogo de olhares ao luar
Não há mais nada

Apenas o padrão de se gostar do que se não tem
Do que está longe, do que você talvez não conseguisse
E eu, que aqui estou, sendo quem sou
Fico de fora deste jogo, pelo menos por um pouco
Esperando que o mundo viva o que eu imagino

Só espero acabar em paz, como se estivesse dormindo
Ouvindo o som de quem sentiu minha falta
Ao fundo de um mundo onde não existe falta