Tudo bem garota

Tudo bem garota, eu te entendo

É mais fácil assim, aos poucos você vai fazendo o coração muchar, o sentimento escapar, a saudade se transformar em uma fagulha, a vontade de te ouvir em vontade de não saber mais de você.

Eu sei que não é fácil, deve estar sendo difícil de lidar, mas faltou a empatia de para esse lado você também notar, faltou a complacência de olhar e me falar, qualquer coisa que fosse, um grito desesperado por um adeus forçado, seria melhor do que essa sua ausência, essa turbulência de me ignorar, de me deixar sozinho imaginando o seu pensar.

Talvez um dia você vá me entender, é difícil sentir sem o outro corresponder, ou sentir a reciprocidade escapar como se fosse uma brisa a beira mar, talvez você não tenha que entender isso agora, são outras necessidades que te levam por aí afora, mas o coração não gela se você não o ignorar.

Eu só desejo que sua vida mude, que você não se iluda no meio dessa tempestade, e que a calmaria da felicidade te atinja em breve, torço muito por você, menina, eu não vou mentir, mesmo sem a mesma atenção, eu escolhi continuar a sentir, o lado bom, a chama breve, não vou deixar o rancor tomar conta da minha noção, porque eu sou todo sentimento, e deixo aqui nesse papel meu coração.

Já chega a hora de te ver de novo, e dessa vez falta entender qual será minha reação, diante do seu olhar vibrante que não poderei chamar com aproximação, terei que deixa-la livre para escolher para onde irá sua atenção, e tentarei viver de acordo com a minha emoção, contemplar a liberdade e o que essa cidade já me deu de bom.

Se por acaso eu ganhar teu abraço mais uma vez, eu terei certeza de guarda-lo em meu coração, pois não tenho mais certeza de quanto isso se repetirá, e qual será a verdade que irei escutar, mas tudo bem menina, eu seguirei em frente, a vida me ensina lições de uma maneira frequente, e eu quero escutar, para seguir minha missão, sorrir enquanto puder e espalhar minha dedicação, a quem quiser um pouco dessa alma qualquer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.