ele passou a tratar dono de carro como vilão da cidade pra agradar seu eleitorado da Vila Madalena
Os salvadores da pátria
Renato Thibes
102

Curioso. Como, exatamente, ele fez isso numa cidade com mais de 16 mil km de vias feitas, sobretudo, com o automóvel em mente? E, se numa democracia a maioria tem inegável peso, como quem utiliza o automóvel é tratado como vilão quando os investimentos de mais de meio século foram feitos para beneficiá-lo, deixando a maioria, que usa transporte coletivo, refém de um modelo de cidade insustentável?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.