O namoro para a Igreja

Nessas últimas semanas, fui muito procurado para discutir dúvidas sobre o namoro “santo”. Estou bem sem tempo, mas coloquei aqui as principais respostas sobre o tema. Já deixo claro que não gosto do sentimentalismo que esse tema traz, mas há necessidade do tema nos dias atuais. Para aqueles que querem aderir, não desistam da radicalidade. Deus não vale a pena, vale a vida !

Onamoro dentro da igreja é um quebra-cabeças: Precisa ser descoberto, peça por peça, com muuuuita paciência. Aos jovens, futuro e esperança do nosso mundo, digo: Você deve namorar uma pessoa só, Aquela que que vai ser sua esposa. AAAH CAIO, NA TEORIA É FÁCIL! De fato, não vivemos em um mundo encantado como a Disney nos propõe, mas por meio da oração, da palavra, e do agir de Deus é possível. Desafie-se! Aos que tem forte história de amor misericordioso de Deus (meu caso), espera no senhor. Ele sabe de tudo e se deu certo na sua história de conversão, há de dar certo quantas vezes precisar. Em nossa doutrina, o namoro que não possui como meta o sacramento, é perda de tempo. Além disso, o Amor é assim, mistério ! Uma hora, em meio a correria e a multidão que entra e sai todos os dias de nossas vidas, alguém vai deixar de ser multidão.

Antes de unir-me a outra pessoa é preciso descobrir-se. A Maturidade nos revela quem somos, nossas virtudes e defeitos. É importante saber quem sou para assim, encontrar uma afetividade concreta, tornando primeiramente nossa vida a Deus e ao próximo como nos diz o mandamento “Amarás a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como à ti mesmo”. Isso leva um tempo, as vezes uma vida (rs), mas é importante ser expressão de Cristo a quem nos cerca. Assim, a cada passo de maturidade, conversão.

Então, procurando por uma afetividade madura, que comecem os namorinhos!

O Namoro que se inicia em Deus, deve tê-lo no centro de tudo. Sendo assim, o namoro não é pra suprir carências, não se denomina somente a ficar namoricando pelos cantos. O seu Namoro DEVE fundir-se a Deus.

Há recursos que facilitam a caminhada a dois. Direção espiritual é o caminho que recomendo.

Distinguir: Afeto ou Amor ?


O afeto nos leva alusão de amor, precisamos estar atentos. O Afeto só projeta tudo o que tem dentro de nós para fora, e se torna dependente, subordinado de um sentimento que tem um retorno agradável. O afeto termina por uma prisão, onde quando não se alcança o apreço esperado por meu eu, eu brigo, ofendo, separo. As pessoas de nossa geração não optam pelo amor, pelo demorado, pelo que exige paciênca para ser construído. Alugam uma casinha e se preenchem por prazeres. quando isso deixa de ser bom, cada um pro seu canto. Duas metades não fazem um inteiro. Antes, é preciso pensar em mim quanto filho de Deus para depois pensar em vocação matrimonial.

Já o amor é desinteressado. É dado sem esperar retribuição, pois o amor é livre. Se ama lavando a roupa para sua mãe, se ama dando comida a um necessitado, se ama em um abraço. O amor é sem limites, não faz limitação de quem é aquele ou este, só se ama. Mas dentro de um namoro é claro que o apreço eleva um pouco deste amor. Mesmo assim é livre para amar seja num beijo ou abraço, num aperto de mão ou em uma troca de olhares. quando ambos se amam, não importa o gesto. Torna-se real a cumplicidade dos dois perante Deus, em total sintonia. O gesto mais simples, é amor.

Baseado nisso, coloco aqui quatro passos, conselhos, avaliação do seu relacionamento, sei lá, para um relacionamento saudável em Deus. Lembrando que Deus não vai descer e te afastar dos perigos do pecado, depende de você !

1. PROPÓSITO

Somos guiados por aquilo que temos como propósito. Se você será um bom funcionário em uma empresa, isso depende do propósito pelo qual você está ali. Sua motivação irá fazer com que você tenha atitudes condizentes com o propósito que tem. Um namoro cristão que não tem por objetivo o casamento pode sim levar ambos para a perdição. Sendo assim, não existe motivo para existência desse relacionamento. Não estamos dizendo que deve-se iniciar um namoro com a data do casamento marcada. Não. Mas deve-se ter no coração o propósito do casamento, pois se forem guiados por tal propósito, tudo o que se fizer nessa jornada será orientado e direcionado por ele. O propósito tem força para te impedir de acabar mal e te fortalecer para vencer as adversidades e tentações.

2. RESPONSABILIDADE

Ir até a casa da moça e pedir aos pais a permissão para namorar não é coisa do passado, é coisa de responsável. Acatar as direções dadas pelos pais e líderes fortalecem esse principio. Responsabilidade traz credibilidade.

Quanto mais responsabilidade um tiver com o outro e, principalmente, consigo mesmo, mais sólido e maduro será esse relacionamento.

A irresponsabilidade deixa qualquer um inconsequente. Faz o que “dá na telha”. Não ouve opinião dos outros, principalmente dos pais e líderes… Faz você criar desculpas para atitudes imaturas. Enfim, ela faz você afundar-se sem ter a noção do “tamanho do buraco”. Se está assim, é a hora de acordar. Levante-se! Você não é mais menino (a). Seja responsável.

3. PACIÊNCIA

O namoro é um ótimo lugar para se exercer uma bela característica do fruto do espírito: a paciência. Se existe algo que todo casal de namorados necessita é disso. A paciência é uma virtude que te ajuda a viver o melhor de Deus na hora certa. Tantos atropelam as fases da vida e se destróem deixando de viver algo poderoso e maravilhoso: a família saudável. Você define como será seu casamento agora no seu namoro. Se você planta paciência em seu namoro, certamente irá colher coisas preciosas em seu casamento. Espere!

4. SANTIDADE

Esse é um dos temas mais falados por nós e muitos que ministram sobre relacionamento. Mas é um princípio extremamente necessário para os “pombinhos”. Sem santidade vivemos fora do plano de Deus. Sem santidade estragamos tudo.

Muitos entram em um relacionamento direcionados pelo Espírito, fazem tudo corretamente . Oram, jejuam, e, quando abandonam a santidade, se vêem sozinhos e perguntam se Deus realmente estava nisso. Ele até estava, mas por causa da escolha pelo pecado, Ele se distancia.

Não tem mistério, tem sacrifício, tem purificação. Precisamos ser diferentes do mundo, do vazio e devassidão do pecado. Eu te proponho simplicidade por este texto, pois não é titulo ser de Deus. É escolha, e é difícil. O corpo que você abraça é território santo, ela(e) é propriedade de Deus antes de qualquer anel que ela(e) use. Deus em primeiro lugar e “ Sê firme e corajoso, porque tu hás de introduzir esse povo na posse da terra que jurei a seus pais dar-lhes.” Josué 1, 6.