Pra quem não conhece o impacto da Fundação Estudar

Por Caio Swan de Freitas

Muita gente ainda me faz uma cara de incompreensão quando falo sobre a Fundação Estudar. Mal sabem que estão ouvindo falar da maior impulsionadora de jovens do Brasil.

Vídeo institucional da Fundação Estudar

Não vou me alongar contando todos os subprodutos e ramos da Estudar, tem muitos lugares já com essas informações. Se quiser saber mais, recomendo esse vídeo ao lado como um bom começo.

Pra quem não sabe, mas pulou o vídeo, bem resumidamente como eles colocam no site: “A Fundação Estudar acredita que o Brasil será um país melhor com mais jovens determinados a seguir uma trajetória de impacto. Por isso, disseminamos uma cultura de excelência e alavancamos a carreira de universitários e recém-formados.”

Palavras bonitas que você já escutou parecidas por aí antes, mas e se eu te contar que os caras que fundaram e colocam dinheiro na Fundação estão por trás da Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Bohemia (tudo isso e muito mais pela AB-Inbev), Heinz, Burger King e Lojas Americanas? Isso porque só falei as mais conhecidas.

Acho que o potencial deu pra perceber que existe. Agora então vou focar em contar minhas experiências aproveitando o que a Fundação oferece.

Meu primeiro contato foi no começo de 2014 com o programa de bolsas. Eu não tinha necessidade de uma bolsa pra estudar fora nem por aqui, mas tinham me falado que o grupo de bolsistas era de gente MUITO boa e estar nesse meio abre muitas portas e potencializa suas conquistas.

Não passei da 2ª fase, que era a dinâmica, mas ter ido numa etapa presencial fez toda a diferença. Naquela sala tinham 20 pessoas com histórias incríveis e inspiradoras e eles tinham mais umas 10 salas cheias como aquela. Ao longo do texto, vou pontuar algumas dessas histórias.

Entendendo os benefícios de me envolver mais com a Fundação, fui participar do Laboratório, o programa de desenvolvimento de lideranças deles. Aí sim, nos cursos você tem acesso menos restrito ao conteúdo desenvolvido por eles, nem por isso as companhias nos 4 dias são menos incríveis. Tinha de estagiário de banco grande a ativista indígena, passando por empreendedores sociais e pesquisadores médicos. Mais um baque de inspiração.

A oportunidade seguinte foi ser multiplicador do LabX, o que quer dizer que eu organizei uma mini versão do Laboratório com apoio da Fundação. No meu caso, fui um dos organizadores da 1ª edição europeia em Londres, principalmente com alunos do Ciências sem Fronteiras. Esse curso alcançou a incrível marca de ter edições ocorridas em todos os estados do Brasil. Ótimos treinamentos de preparação, sala no Facebook Londres com ajuda de um bolsista da Estudar e mais gente muito boa.

Já deu pra reparar o que bati várias vezes na tecla de que conheci muitas pessoas incríveis e, mais do que tudo, eu vejo isso como o grande diferencial da Fundação Estudar. Ela tem essa capacidade ímpar de reunir pessoas excepcionais e criar uma rede absurdamente capaz de transformar o país. Dá uma olhada nas histórias da última turma de bolsistas.

Meu envolvimento mais recente é justamente tentar entrar nesse programa novamente. A dinâmica ocorreu no último sábado com 15 outros candidatos fora de série, tinha medalhistas em olimpíadas de algumas disciplinas, vários empreendedores de apps, gente envolvida com grupos/empregos de políticas públicas, educação, literatura, computação, consultoria, pesquisa e impacto social. Todos os intervalos eram preenchidos por várias trocas de histórias que eram difíceis de parar. A dinâmica acabou com uma hora de atraso e mesmo assim mais de 10 pessoas se juntaram num bar próximo pra continuar trocando histórias.

Mais de 60% dos candidatos que estão disputando um processo concorrido. Sendo que a maioria deles não conhecia previamente nenhum dos outros ali sentados. Passando ou não pras próximas fases, se tenho uma certeza é que vou continuar aproveitando essas oportunidades.


Importante ressaltar, não trabalho nem recebo nada da Fundação Estudar. Esse texto foi feito simplesmente para informar mais pessoas sobre essas oportunidades e como uma forma de agradecimento a tudo que a Fundação faz e que ajudou a mim e milhões de outros jovens no Brasil.